19:34 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Com ajuda do telescópio da NASA – Kepler, cientistas encontraram dois planetas no locar e tamanho ideais com grande possibilidade de haver vida

    Inteligência artificial ajuda NASA a descobrir novo planeta

    © Foto : David A. Aguilar (CfA)
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30

    As novas tecnologias da NASA ajudaram a descobrir o oitavo planeta orbitando uma estrela distante.

    A inteligência artificial foi usada pela primeira vez para analisar os dados do telescópio Kepler, tendo descoberto o oitavo planeta orbitando uma estrela distante, lê-se em um comunicado da NASA.

    "Isto é apenas o início de uma nova forma de caça a planetas", informou o comunicado.

    O planeta recém-descoberto, denominado Kepler-90i, é um planeta rochoso e o menor de oito planetas do sistema Kepler-90. O planeta está tão perto da sua estrela que seu ano dura apenas 14 dias.

    "O sistema está configurado como o nosso Sistema Solar, com os pequenos planetas localizados perto da estrela e os grandes planetas mais afastados. Este modelo evidencia que os planetas gasosos externos do sistema, que são aproximadamente de tamanho de Saturno e Júpiter, se formaram de maneira similar ao nosso Sistema Solar", informou o comunicado.

    Os pesquisadores programaram um computador para aprender a identificar os sinais fracos dos exoplanetas em trânsito de entre o vasto arquivo de dados do espaço profundo do telescópio Kepler, disse o comunicado.

    Assim, foram encontrados dois exoplanetas até então desconhecidos: o Kepler 90i e o Kepler 80g, que pertence ao sistema de seis planetas que orbita outra estrela.

    Os cientistas planejam usar o sistema computorizado para descobrir mais planetas, usando os dados coletados pelo Kepler sobre cerca de 150 mil estrelas.

    Mais:

    Com essa arma, Pentágono pode destruir 'qualquer alvo no planeta' em 60 minutos
    Planeta quentíssimo com 2.500°C é o mais escuro da nossa galáxia?
    Tags:
    planeta, espaço, NASA, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik