02:08 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 90
    Nos siga no

    Durante a expedição ao Equador, os arqueólogos da Universidade Federal Russa do Extremo Oriente encontraram artefatos cuja idade é de aproximadamente seis mil anos, informa a universidade.

    "No local do sítio arqueológico Real Alto, junto com os colegas da Escola Superior Politécnica do Litoral [ESPOL, Guayaquil], os pesquisadores descobriram uma camada arqueológica pertencente às primeiras fases de ocupação de um dos maiores monumentos da história da antiguidade do Novo Mundo. Os achados de pedra e de cerâmica pertencem à cultura pouco estudada de São Pedro, e permitem estabelecer seu lugar na história da América pré-colombiana", se lê no comunicado da universidade. 

    De acordo com o chefe da expedição, Aleksandr Popov, os colegas japoneses da Universidade de Tohoku recolheram amostras para realizar a datação mais exata por radiocarbono. A cerâmica tem uma importância especial para o estudo de culturas arqueológicas, tendo os cientistas encontrado um conjunto de fragmentos cerâmicos de um vaso. Sua análise pode proporcionar novas informações sobre a evolução das culturas antigas e o surgimento da cerâmica no litoral do Pacífico.

    Os arqueólogos da Universidade Federal Russa do Extremo Oriente têm realizado trabalhos arqueológicos no Equador desde 2014. O objetivo principal do projeto é comparar a adaptação humana às mudanças do ambiente na época antiga nos dois lados do oceano, no litoral da América do Sul e na Ásia Oriental. 

    Mais:

    Descoberta em cemitério medieval deixa arqueólogos perplexos (VÍDEO)
    Melhor presente para arqueólogos: túmulo de Papai Noel pode ter sido encontrado! (FOTOS)
    Arqueólogos encontram uma ponte do século XVIII na Crimeia (FOTOS)
    Tags:
    arqueologia, Rússia, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar