22:12 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Grafite de Albert Einstein na parede de uma escola, Rio de janeiro, Brasil

    Saiba a receita da felicidade segundo Albert Einstein (FOTO)

    © AP Photo / Silvia Izquierdo
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    350

    Em 1922, o famoso físico entregou duas anotações a um mensageiro em Tóquio em vez de gorjeta, ressaltando que poderiam ser "muito mais valiosas do que uma gorjeta comum".

    Na próxima terça-feira (24), a casa de leilões Winner's em Jerusalém venderá uma anotação escrita 95 anos atrás por Albert Einstein, onde o cientista descreve brevemente sua teoria sobre a felicidade, informa o RT, citando The Daily Mail.

    Durante uma turnê de conferências no Japão em 1922, um empregado entregou uma mensagem a Einstein no Hotel Imperial de Tóquio, informando ao legendário físico que ele receberia o Nobel de Física, escreve o RT. Não se sabe com certeza se o entregador se recusou a receber a gorjeta, segundo as tradições locais, ou se o físico não dispunha desta para agradecê-lo.

    Em qualquer caso, para não deixar o mensageiro de mãos vazias, o cientista lhe entregou dois papéis escritos à mão em alemão. "Talvez, caso tenha sorte, essas anotações serão muito mais valiosas do que uma gorjeta comum", disse Einstein ao mensageiro, de acordo com o vendedor anônimo, um familiar do enviado.

    Foto de 19 de setembro de 2017 mostra anotações escritas por Albert Einstein em 1922
    © AFP 2018 / MENAHEM KAHANA
    Foto de 19 de setembro de 2017 mostra anotações escritas por Albert Einstein em 1922

    A nota afirma que "uma vida tranquila e modesta atrai mais alegria que a busca do sucesso ligada a tensões constantes". Na outra escrita que "onde há vontade, há um caminho".

    Apesar dos papéis não representarem valor científico, afirma o The Daily Mail, podem trazer luz sobre os pensamentos dessa grande pessoa.

    Mais:

    Fobia de cobras e aranhas: evolutiva ou congênita?
    'Roubando protagonismo': a Lua oculta o Sol, ocupando primeiro plano (VÍDEO)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik