21:22 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Um robô (foto de arquivo)

    Batalha épica: robô de combate gigante japonês vs rival norte-americano (VÍDEO)

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    151

    O robô norte-americano Eagle Prime enfrentou o seu rival japonês em setembro, mas o vídeo só foi mostrado em 18 de outubro, informa o RT.

    A espera de inúmeros fãs chegou ao fim nesta quarta (18), quando o vídeo do combate épico de dois robôs foi disponibilizado: o Eagle Prime norte-americano desenvolvido pela empresa MegaBots, enfrentou o seu rival japonês Kuratas da Suidobashi Heavy Industries

    O tão esperado evento, que estava sendo preparado durante quase 2 anos e foi anunciado como "a primeira batalha entre robôs-gigantes" foi realizado secretamente em setembro, e a gravação se tornou pública só agora. 

    O Eagle Prime norte-americano ganhou a batalha, derrotando o seu rival na segunda rodada. 

    A máquina monstruosa dos EUA que pesa 12 toneladas e tem 5 metros de altura é guiada por 2 pessoas e possui um canhão duplo em um braço e uma garra em outro. O projeto custou 2,5 milhões de dólares. 

    Segundo o IFL Science, o vídeo promocional mostra que o Eagle Prime é "exatamente tão estadunidense, como se podia esperar: bombástico, chamativo e genuinamente imponente". A máquina de combate dispara projéteis de alta precisão e possui uma resistência impressionante. 

    O Kuratas, apesar de pesar 6,5 toneladas e medir 4 metros de comprimento é "uma obra de arte", segundo o vídeo promocional. "Não é um veículo normal porque não garante a segurança ou conforto. Mas transforma o sonho em realidade, daqueles que querem se tornar pilotos de robô".  

    Mais:

    Manobrável e potente: Rússia testa seu robô de combate e de reconhecimento Vikhr
    Não é ficção científica: Carro se transforma em robô de combate
    Tags:
    capacidade militar, evento, canhão, robô de combate, batalha, projeto, máquina, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik