10:00 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    Na superfície do Sol apareceu uma espécie de "coração", formado por linhas do campo magnético, cujo centro está voltado para a Terra, segundo o Laboratório de Astronomia de Raios X do Sol, do Instituto Físico Lebedev da Academia de Ciências da Rússia.

    Na superfície do Sol se formam periodicamente várias figuras, cujo aspeto faz lembrar aves, setas gigantes, continentes e outros objetos da Terra. Tais "desenhos" aparecem na superfície solar por acaso, resultando de interações complexas de campos magnéticos em seu núcleo e na superfície. Os cientistas esperam que, observando estes "desenhos", eles possam finalmente entender como prever a atividade solar.

    Na noite de segunda para terça-feira (3), na superfície solar surgiu mais uma figura deste tipo, que se parece com um "coração". Permaneceu durante algumas horas antes de "se dissolver" no espaço adjacente. Vale destacar que o centro da figura se encontrava na parte do Sol que agora está voltada para a Terra.

    "Os campos magnéticos formaram por acaso na superfície de nossa estrela uma figura incomum. O contorno externo da figura foi "desenhado" por laços magnéticos, que são as zonas escuras, enquanto no centro do coração se pode ver uma zona quente ativa e brilhante. A figura tem cerca de um milhão de quilômetros quadrados de tamanho", indicam os cientistas.

    Este não é o primeiro "coração" a ser descoberto por cientistas. A estrutura mais interessante e constante deste tipo foi encontrada em Plutão em julho de 2015 pela sonda espacial New Horizons. Segundo acreditam especialistas, uma estrutura semelhante pode existir no planeta anão 2010 JO179, descoberto recentemente atrás da órbita de Netuno.

    Mais:

    NASA mostra sonda que realizará viagem sem precedentes ao Sol (VÍDEO)
    Que faz o Sol 'se enfurecer'? Foi encontrada a resposta (VÍDEO)
    Tags:
    Espaço, Sol, figura, rara, campo magnético, astronomia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar