08:40 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Base lunar futura da Rússia na imaginação do artista

    Base da NASA na órbita lunar pode ser construída com ajuda de foguetes russos

    © Foto: Central Research Institute of Machine Building
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    252

    Representantes da Agência Federal Espacial russa Roscosmos e da NASA assinaram uma declaração conjunta para cooperação e contaram sobre os planos de construir uma estação na órbita da Lua, cujos módulos podem ser levados ao espaço por foguetes transportadores russos Angara-A5M e Proton, comunica a assessoria de imprensa da agência espacial russa.

    "Ao menos 5 países estão elaborando os seus próprios sistemas e naves tripuladas, e uma parte dos padrões deve ser unificada para que eles todos possam se acoplar à estação internacional perto da Lua. Alguns padrões-chave serão criados baseando-se em elaborações russas", disse Igor Komarov, diretor-executivo da Roscosmos.

    Nesta semana, em Adelaide, Austrália, está sendo realizado o Congresso Internacional de Astronáutica (IAC, na sigla em inglês), onde líderes da indústria cósmica trocam opiniões e apresentam novos projetos de exploração dos espaços próximo e profundo.

    No âmbito desse Congresso, os representantes da Roscosmos e da NASA assinaram e anunciaram cooperação conjunta, e um dos pontos cruciais dela é a construção da estação espacial, projeto Deep Space Gateway, na órbita lunar.

    Os primeiros rumores sobre a possível construção da "irmã da Estação Espacial Internacional" na órbita lunar surgiram no outono (do Hemisfério Norte) do ano passado, quando foi realizado um encontro a portas fechadas do Grupo Internacional de Elaboração de Naves Espaciais. Nesse encontro, os representantes dessas cinco potências cósmicas falaram sobre os planos internacionais de exploração espacial e o que a humanidade vai fazer depois de a Estação Espacial Internacional parar de funcionar em meados de 2020.

    Anatoli Zak, dono do portal russo SpaceWeb, disse em novembro de 2016 que os países acordaram começar a construção da estação na órbita lunar que vai servir de "portão ao espaço profundo", além do estudo da Lua. A construção da base, segundo ele, deve começar em 2023, quando vão enviar para nosso satélite natural os primeiros módulos da futura estação no âmbito da terceira expedição do programa Orion.

    Por sua vez, a Rússia – sendo representada pela Roscosmos, elaborará a parte principal da estação, ou seja, o módulo-porta, que será usado para sair ao espaço aberto e que vai transportar muitos suprimentos para a primeira expedição da estação. Ele será lançado a bordo de um dos foguetes Oreon ou será lançado, mas sem suprimentos, com ajuda do novo foguete transportador russo Angara-A5M.

    De acordo com a assessoria de imprensa da Roscosmos, os representantes da NASA e da Roscosmos confirmaram o seu desejo de trabalhar nessa direção e declararam que as agências cósmicas já alcançaram o consenso quanto à organização do ponto de acoplagem da estação futura, que será criado com base em tecnologias e padrões russos.

    Além disso, as partes ressaltaram que o foguete russo Angara-5 e o norte-americano SLS seriam usados na construção da estação, e notaram que também seria usado o foguete transportador pesado Proton-M. Além do mais, a Roscosmos e NASA continuarão cooperando na exploração da Estação Espacial Internacional e nas pesquisas do espaço profundo.

    Mais:

    Nave espacial Soyuz se acoplou com sucesso à Estação Espacial Internacional
    Estação Espacial Internacional terá o computador mais poderoso que já saiu da Terra
    Tags:
    órbita lunar, estação espacial, Angara, Proton-M, Roscosmos, NASA, Igor Komarov, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik