17:04 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Flashmob Durmam bem em Ecaterimburgo

    'Epidemia catastrófica' está afetando sociedade

    © Sputnik/ Pavel Lisitsin
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    560

    A sociedade está sendo devorada por uma doença catastrófica chamada "falta de sono" que pode resultar em algo mais grave do que podemos imaginar. Sobre esse assunto, o cientista e diretor do Centro dos Estudos do Sono da Universidade da Califórnia em Berkeley, Matthew Walker.

    "Todos os aspectos da nossa biologia são atingidos pela falta de sono", afirma ele. Segundo o cientista, a falta, ou seja, menos de 7 horas de sono por dia, pode levar a problemas inúmeros, incluindo a deterioração da memória, diabetes, obesidade, câncer e doença de Alzheimer.

    Michel Temer, presidente de Brasil
    © REUTERS/ Adriano Machado
    Walker explica por que nos últimos 75 anos as pessoas estão dormindo menos. Em primeiro lugar, nós "eletrificamos" a madrugada. "A luz é um fator importante que tira nosso sono", diz Walker na entrevista ao jornal The Guardian.

    Segundo, o problema consiste no tempo gasto pelas pessoas no trabalho e no caminho até ele ou de volta para casa. "Ninguém quer deixar de passar o tempo restante com a família e divertimento, por isso, ao invés disso, o sono é sacrificado", continua Walker.

    Além disso, no mundo de hoje, o sono para muitos é sinônimo de fraqueza e preguiça. "Queremos parecer ocupados, e um dos meios de demonstrar isso é dizendo quão pouco dormimos. É um sinal de honra", nota o cientista.

    De acordo com ele, o ser humano é a única espécie que não se permite dormir, e isso sem qualquer razão plausível.

    Em sua opinião, grandes organizações e legisladores devem tratar com seriedade o problema da falta de sono.

    "A situação deve mudar: no trabalho e na sociedade, em casa e nas famílias. Vocês já viram alguma vez um cartaz do Serviço Nacional de Saúde sobre a importância de dormir? E qual foi a última vez que um médico prescreveu ao paciente apenas sono, ao invés de medicamentos? O sono deve ser prioridade, deve ser incentivado", afirma Walker.

    Matthew Walker dorme 8 horas por dia, e essa regra é inalterável. "Meu conselho para as pessoas seria: durmam e acordem na mesma hora todos os dias, apesar de tudo", diz ele, assinalando que trata o sono som muita seriedade, pois sabe o que acontece quando há falta do mesmo.

    Mais:

    É o que acontece quando uma leoa perturba um hipopótamo dormindo
    Cientistas detectam vírus mais perigoso do mundo
    Foi revelada a única ameaça dos clarões solares para saúde humana
    Tags:
    doença mental, câncer, ciência, falta, sono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik