14:06 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Planeta Saturno

    Beijo da Morte: Cassini se despede para sempre (FOTOS, VIDEOS)

    CC0 / DasWartgewand / Saturno
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    72668132

    A famosa sonda Cassini mergulhou na atmosfera de Saturno, concluindo, assim, sua viagem espacial de duas décadas.

    Ao efetuar com toda a responsabilidade sua missão espacial durante 20 anos, 13 dos quais a sonda voou ao redor de Saturno mergulhando em seus anéis, a sonda contribuiu significativamente na área de exploração espacial ao oferecer muitos dados e conhecimentos à Terra.

    Por que a NASA decidiu 'matar' sua sonda veterana?

    A sonda Cassini (aqui você pode conferir a visualização 3D da nave espacial) é um dos projetos mais caros, mais duradouros e mais bem-sucedidos da NASA, do qual participaram não apenas os EUA, mas também a Agência Espacial Europeia e a Agencia Espacial Italiana (ASI).

    Por um lado, alguns especialistas acreditam que essa morte é um espetáculo bem encenado destinado a atrair a atenção pública. Mas por outro lado, há certas razões que não permitiriam o regresso da sonda ao nosso planeta. Sabe-se que a sonda estava em missão há 20 anos, por isso sua construção e equipamento já estaria se desgastado para fazer viagem de volta, ou para continuar sobrevoando planetas longínquos. Além disso, não há combustível suficiente para voltar.

    Astrônomos da NASA destacam haver pelo menos duas razões para a sonda "morrer" na atmosfera de Saturno.

    Primeiramente, assim que acabasse o combustível da mesma, ela seria lixo espacial, mas, entrando na atmosfera de Saturno seria destruída completamente.

    Outra razão, aproximando-se do planeta, a Cassini seria capaz de obter imagens e dados importantes de Saturno.

    © NASA. AP
    'Beijo final' da sonda Cassini

    Méritos da nave espacial

    Falando das descobertas mais importantes feitas pela sonda vale indicar a aterrissagem da sonda Huygens, que faz parte da missão Cassini-Huygens, na superfície de Titã, o maior satélite do planeta. Todos os conhecimentos sobre o clima, relevo e superfície de Titã foram recebidos graças a esta missão.

    Outro mérito da Cassini se trata dos dados obtidos sobre a composição e a origem dos anéis de Saturno, pois agora se sabe que são restos de satélites naturais pequenos, que foram destruídos muito tempo atrás.

    Beijo final

    Hoje, em 15 de setembro, a NASA confirmou que a Cassini mergulhou em Saturno às 7h31 (horário de Brasília) destruindo-se no processo. Os últimos sinais chegaram à Terra 83 minutos depois.

    Segundo a diretora da missão espacial Cassini, Linda Spilker, a sonda transmitiu com sucesso as últimas imagens de Saturno, suas luas e anéis, bem como as fotografias do último ponto que viu antes da morte. Os cientistas mantêm esperanças de que esses dados, que serão recebidos pela Terra em breve, ajudarão a revelar mais enigmas sobre o nascimento do nosso Sistema Solar.

    Como tudo era há 20 anos

    A Cassini deu adeus à Terra na madrugada de 15 de outubro de 1997, levantando-se do Cabo Canaveral (Estados Unidos).

    Entre 1998 e 1999 foi realizada uma série de manobras perto de Vênus para aproveitar sua gravidade e ganhar velocidade, preservando ao máximo seu precioso combustível de plutônio. Em seguida, regressou de novo à Terra para obter mais um impulso. Assim, em agosto de 1999 passou a distância de 377.000 km da Lua e se despediu para sempre do nosso planeta.

    Mais:

    Destino pré-determinado: Cassini voa ao encontro de sua morte (VÍDEO)
    Fim heroico da Cassini: para que NASA vai 'matar' sua sonda veterana?
    Sonda Cassini detecta anomalias inexplicáveis de Saturno
    Cassini continua resolvendo enigmas das luas de Saturno
    Sonda espacial Cassini capta sombra enorme nos anéis de Saturno
    Tags:
    missão espacial, sonda espacial, fotos, atmosfera, dados, descoberta, Cassini, Agência Espacial Europeia (ESA), NASA, Sistema Solar, Saturno, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik