08:05 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    27237
    Nos siga no

    Desta vez, os astrônomos do projeto Breakthrough Listen conseguiram fixar vários sinais repetitivos que supostamente foram enviados de outra galáxia!

    Os investigadores do projeto, que visa encontrar sinais de vida extraterrestre, receberam impulsos repetitivos do sinal de rádio FRB 121102, que podem ter sido enviados de uma galáxia localizada a três bilhões de anos-luz da Terra.

    Mais anteriormente, os cientistas do Breakthrough Listen comunicaram ter conseguido detectar 15 sinais provenientes de uma galáxia anã.

    As ondas em questão foram registradas pela primeira vez em 2007. Desde o primeiro recebimento das ondas enigmáticas, os cientistas vêm tentando captar mais impulsos para análise aprofundada dos mesmos. No decorrer do estudo dos sinais providos de regiões longínquas do nosso universo, surgiram mais opções para resolução do enigma: podem ter origem artificial e se tratar de tentativas de uma civilização extraterrestre de estabelecer contato.

    De acordo com os cientistas, os sinais são representados por ondas de rádio tão complicadas que pode ser descartada a opção de "origem natural" deste fenômeno.

    No entanto, essa descoberta não permite falar somente sobre fonte artificial de transmissão de impulsos, portanto, os astrônomos do Breakthrough Listen planejam continuar observando para encontrar caraterísticas desconhecidas, mas vitais para desvendar a origem do fenômeno.

    Mais:

    Na China o barulho de turistas pode atrapalhar as buscas de extraterrestres
    Alerta, astronautas! Uma nave extraterrestre vigia EEI (VÍDEO)
    Vestígios de civilização extraterrestre? Ufólogos acham 'cidade antiga' em Marte (VÍDEO)
    Bunkers lunares: Ufólogo detecta base extraterrestre na cratera Tycho (VÍDEO)
    Que segredos esconde Antártida? Ufólogo detecta algo de extraterrestre (VÍDEO)
    Tags:
    Terra, Breakthrough Listen, ondas, rádio, sinais, mensagens, extraterrestre, fenômeno, galáxia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar