05:57 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Reconstrução de um guerreiro num festival histórico na Crimeia

    3 mil anos em guarda: foram encontrados restos de guerreiro preparado para atacar (VÍDEO)

    © Sputnik/ Serguéi Malgavko
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 167941

    A descoberta curiosa, que data da Idade do Bronze foi feita na cidade siberiana de Omsk. O guerreiro, que foi enterrado empunhando uma adaga e um punhal, estava preparado para o combate na outra vida.

    Os restos encontrados datam de entre 2.700 e 2.900 anos atrás e despertaram a curiosidade dos arqueólogos, sobretudo pelo "arsenal" que apresentava o túmulo do guerreiro. Para além da adaga, ele tinha um punhal e, a pouca distância, um machado e várias flechas.

    "Na mão direita levava uma adaga com a lâmina apontada da frente para trás, como se a pretendesse usar para apunhalar", declarou Albert Polovodov, um especialista do departamento de cultura regional.

    "Na outra mão tinha um punhal com a lâmina para baixo, como se fosse ser usada para cortar, dissecar, cortar os ligamentos. Claramente é uma imitação do uso destas armas em combate", acrescentou ele ao portal The Siberian Times.

    Segundo Polovodov, o corpo foi preparado para enfrentar os obstáculos que ele poderia encontrar em seu caminho para o outro mundo.

    Os restos foram encontrados junto a uma velha canalização soviética, no centro da cidade, e o bom estado de conservação do túmulo surpreendeu os especialistas.

    Maksim Grachev, diretor do Museu de Arqueologia e Etnografia local, informou que tinha sido encontrado "um grande número de objetos bem conservados: armas, joias e outros artefatos de bronze".

    O especialista acrescentou que provavelmente na mesma área haverá mais túmulos como este, mas é impossível lhes aceder.

    Mais:

    Descoberta inexplicável em Marte deixa os astrônomos perplexos
    Descoberta incrível: Cientistas revelam que exoplaneta parecido com a Terra tem atmosfera
    Tags:
    arqueologia, história, descoberta, cientistas, Sibéria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik