02:21 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Mulheres invadem o mundo dos games

    'As mulheres estão invadindo o mundo dos games'

    Divulgação / Brasil Games Show
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    113
    Nos siga no

    Uma pesquisa realizada pelo Youtube apontou que 80% do público de jogos de celular no Brasil hoje é formado pelas mulheres. A Sputnik Brasil falou com exclusividade com o gerente-geral da Brasil Games Show, Renan Barreto, que comentou sobre a inserção das mulheres no mundo dos games, tradicionalmente ocupado por homens.

    O estudo realizado pelo YouTube foi feito com pessoas que assistem a vídeos sobre jogos na plataforma.

    Já o perfil do usuário que procura os vídeos sobre games no Youtube, de acordo com o levantamento, é ainda formado em 80% por homens. O levantamento também mostra que 73% de quem assiste a vídeos de games no YouTube têm entre 18 e 34 anos.

    Para comentar esses dados a Sputnik Brasil falou com exclusividade com Renan Barreto, Gerente Geral da Brasil Games Show, que é a maior feira de games da América Latina, e que reúne os principais nomes da indústria de games e suas novidades aqui no Brasil, com próxima edição de 11 a 15 de outubro. Pela primeira vez a feira traz esse ano um campeonato feminino do jogo de tiro Counter Strike: Global Offensive.

    Renan Barreto comentou a mudança de pensamento que ocorre em relação aos estereótipos de gênero como forma das mulheres ocuparem espaços tradicionalmente ocupados por homens.

    "É uma descoberta nova, até pra gente, mesmo que estejamos inseridos nesse mercado, fazendo eventos (…) Em relação à pesquisa em si, eu acho que a gente consegue levar em consideração que a descoberta dos jogos pelo público feminino nesse caso pode vir a acontecer no celular, com jogos mais casuais, já que historicamente as mulheres acabam sendo ensinadas que videogame é coisa de menino e é muito bom que hoje este pensamento está sendo quebrado, e agora as mulheres estão buscando novos jogos, não só coom hobby, mas também como trabalho", observa Barreto.

    "Com o tempo as mulheres foram migrando não só do celular, desses jogos mais casuais, mas pros consoles, pros PCs. E hoje na Brasil Games Show [BGS] a gente tem a Brasil Game Cup, que é o campeonato de esportes, que está se engajando com a final de Counter Strike, que é um jogo super famoso de tiro em primeira pessoa, e a gente vai ter a final feminina acontecendo dentro da BGS", destaca. 

    O gerente da maior feira de games da América Latina comentou também são inúmeras as plataformas que são oferecidas para jogos hoje em dia, tornando os games mais acessíveis do que nunca. 

    "Hoje a gente tem algumas formas de jogar, temos o celular, a Smart TV, o próprio console, o PC, então existem várias plataformas diferentes que hoje a gente pode jogar, então o sensacional hoje em dia é que o jogo nunca esteve tão acessível quanto hoje com todos os aparelhos que podem ser usados pra jogar", afirma. 

    De acordo com Renan Barreto, a inserção das mulheres no mundo dos games tem a ver, ao mesmo tempo, com uma mudança social e com a revolução tecnológica, aumentando o apelo dos games dentro da sociedade brasileira de uma forma mais ampla.

    "Eu acho que é uma mudança social, e não apenas uma mudança tecnológica. Se a gente for pensar na década de 90, realmente, o público masculino era gigantesco comparado ao público feminino, mas era basicamente console e PC. Com o tempo, hoje já no século XXI […] a gente conseguiu ter um apelo maior dos jogos com um público maior dentro da sociedade brasileira", analisou. 

    "Com isso, as mulheres vão conseguir jogar mais, e também essa mudança social de que a mulher pode fazer coisas que homens fazem e buscar a igualdade que é essencial para uma sociedade que venha funcionar da melhor forma possível, acaba sendo um reflexo dentro dos jogos", disse o gerente da Brasil Game Show. 

    "Então conforme a mulher foi buscando mais espaço, buscando hobbys que não eram tidos como hobbys para mulheres como o próprio videogame, hoje a gente consegue perceber essa mudança e ver que a mulher está invadindo o mundo dos jogos, não apenas coom jogadoras casuais, mas como jogadoras profissionais", destaca. 

    Renan Barreto observou ainda que novos jogos podem ser criados voltados para o público feminino, pois, segundo ele, "criação de jogo é estudo de mercado". "Se o mercado está voltado para o público feminino, com certeza mais jogos para o público feminino vão acontecer", disse ele, acrescentando que no futuro os jogos não terão mais distinção entre o que para o homem ou para mulher.  

    Tags:
    smartphones, Jogos, videogame, mulheres, entrevista, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar