11:04 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Sonda New Horizons fotografa Júpiter e sua lua vulcânica Io

    NASA vai capturar imagens impressionantes da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

    © NASA . /Johns Hopkins University
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    110

    Em apenas uma semana, a nave espacial Juno da NASA vai pairar a apenas 9.000 quilômetros sobre o anticiclone de Júpiter, conhecido como a Grande Mancha Vermelha, para realizar a primeira observação detalhada.

    Em 2000, a sonda da NASA Cassini capturou imagens do mosaico cósmico a uma distância de cerca de 9,9 milhões de quilômetros.

    Auroras em Júpiter (imagem de arquivo)
    Auroras em Júpiter (imagem de arquivo)

    O disco notável do maior planeta do Sistema Solar, sendo na verdade uma tempestade ativa de uns 16 mil km de diâmetro, tem provocado interesse nos cientistas desde 1830, de acordo com a NASA. Mas, como estimam os cientistas, há 350 anos o interesse se intensificou.

    O diâmetro da Terra, de 12742 km, é pequeníssimo em comparação com o da Grande Mancha Vermelha.

    "A Juno e suas ferramentas científicas, capazes de penetrar nas nuvens, vão mergulhar para ver quão profundas são as raízes da tempestade, ajudando-nos a compreender como funciona a tempestade gigante e por que é tão especial", disse o pesquisador Scott Bolton de San Antonio (Texas, EUA), em um comunicado de 30 de junho.

    No entanto, a Juno não é a única ferramenta com a qual a NASA está investigando o planeta massivo. Em 30 de junho, o observatório Gemini forneceu imagens de alta resolução que ajudarão os cientistas a reconstruir o que está acontecendo em Júpiter. O Gemini dá aos pesquisadores três tipos de observações para contextualização dos dados, recolhidos pela Juno.

    "Recebemos o contexto espacial, observando o planeta inteiro. Expandimos e enchemos nosso contexto cronológico após análise das caraterísticas registradas durante um dado período", disse Glen Orton do Laboratório de Propulsão a Jato, no estado da Califórnia.

    Provavelmente o fator mais importante para os cientistas é que o telescópio obtém dados para "completar com comprimento de ondas, indisponíveis nos da Juno".

    Mais:

    NASA ilumina céu norte-americano com cores (VÍDEO)
    Sonda da NASA apresenta para você a 'música' exclusiva de Júpiter (VÍDEO, FOTO)
    Tags:
    tempestade, observação, planeta, Júpiter, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar