18:55 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Zona de exclusão perto da central nuclear de Chernobyl (arquivo)

    Vírus atinge sistema da usina nuclear de Chernobyl

    © Sputnik / Grigoriy Vasilenko
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    531

    O vírus de resgate Petya, que vem sendo apontado como arma de um ataque cibernético que afetou vários órgãos da Europa nesta terça-feira, também seria um dos responsáveis pelos problemas causados em vários sistemas informáticos da Ucrânia, incluindo da usina nuclear de Chernobyl, segundo afirmaram autoridades locais.

    Mais cedo, países como Rússia, Dinamarca, França, Espanha e Ucrânia relataram ter sido vítimas de ciberataques que têm como objetivo sequestrar informações de bancos de dados para, em seguida, só liberá-las mediante pagamentos online.

    "Nove pagamentos foram feitos em bitcoin até agora associados ao Petya", afirmou a empresa de segurança cibernética Symantec.

    Na Ucrânia, o incidente afetou principalmente sites do governo e empresas do setor financeiro. Mas, de acordo com representantes da usina nuclear de Chernobyl, citados pelo jornal Ukrainskaya Pravda, o sistema de monitoramento de radiação da instalação também foi atingido, gerando preocupação. No entanto, eles garantiram que as estruturas em si não foram danificadas e, assim, não houve vazamentos. 

    Especialistas ucranianos não demoraram para responsabilizar a Rússia pelo ocorrido, embora vários sistemas do país vizinho também tenham sido afetados. Além do Petya, também o vírus Cryptolocker teria sido utilizado nesses ataques. Ambos agem através da prática de ransomware, que codifica dados dos sistemas atacados, impedindo o acesso dos proprietários e usuários. 

    Mais:

    Europol: Ataque cibernético sem precedentes afeta 200 mil usuários em 150 países
    Ataque cibernético atinge hospitais e empresas na Europa
    Parlamento britânico é atingido por ciberataque
    Hackers nas arábias: crise diplomática foi provocada por ciberataque, confirma Doha
    Tags:
    cryptolocker, petya, ciberataque, ransomware, Ukrainskaya Pravda, Symantec, Chernobyl, Espanha, França, Dinamarca, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik