20:11 01 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    11113
    Nos siga no

    O Facebook acaba de apresentar uma patente para um sistema que permitirá que a rede fotografe você sem sua permissão - e de acordo com alguns especialistas, eles têm todos os direitos legais para fazer isso.

    O Facebook pediu a patente para um sistema que lhes permitiria adaptar a experiência do usuário, analisando as emoções dos usuários. Usando a câmera frontal no laptop ou smartphone de uma pessoa, a plataforma usaria fotos temporárias do usuário para determinar sua reação emocional às histórias que vêem no site de redes sociais e ajustar o conteúdo de acordo.

    A plataforma de mídia social aumentaria o conteúdo que as pessoas respondem de forma positiva e reduzem a frequência de conteúdo que eles respondem negativamente. Mesmo que já haja tecnologia no lugar para filtrar o feed de notícias de um usuário, tomando nota de quais páginas não são seguidas e outros fatores, o novo sistema ajudaria na automação do processo.

    Um porta-voz do Facebook explicou ao The Independent que a apresentação de uma patente não significa necessariamente que a tecnologia será lançada. "Muitas vezes procuramos patentes para a tecnologia que nunca implementamos e as patentes não devem ser tomadas como indicação de planos futuros", disse.

    Embora inovador, o uso de "dados de imagem passiva" coloca o Facebook em uma espécie de área cinzenta das relações públicas da e ética. A empresa já enfrentou críticas para a segmentação de anúncios para usuários adolescentes com base em seus comentários e por produzir anúncios para determinadas condições médicas alegadamente usando histórico de busca dos usuários.

    Também foi revelado em 2014 que o site realizou um experimento para ver se poderia manipular as emoções dos usuários, ajustando o feed de 700.000 usuários. À época, a rede social admitiu que "não conseguiu comunicar claramente o porquê e como nós fizemos" a pesquisa.

    Houve algumas especulações sobre se o Facebook poderia enfrentar ações legais por causa da tecnologia, mas especialistas legais dizem que os regulamentos de usuários estabelecidos pela empresa podem impedir isso.

    O professor de direito da Universidade de Maryland, James Grimmelmann, conversou com o International Business Times.

    "Eu acho que seria muito difícil para alguém processar o Facebook com sucesso… Alguns advogados podem tentar com a esperança de negociar um acordo de dinheiro, mas o obstáculo são os termos de serviço. Os termos de serviço do Facebook dizem que eles podem usar dados para pesquisas e não promete um feed imparcial", afirmou o advogado.

    Em sua Política de Uso de Dados, o Facebook se reserva no direito de usar dados para "para operações internas, incluindo solução de problemas, análise de dados, testes, pesquisa e melhoria de serviço".

    Mais:

    Ameaças no Facebook levam a prisão na vida real
    Facebook impõe sanções contra os habitantes da Crimeia
    Facebook não permite RT publicar notícias com multimídia
    Tags:
    Universidade de Maryland, International Business Times, The Independent, Facebook, James Grimmelmann
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar