06:16 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Esta ilustração mostra o mergulho de Cassini através da pluma de Encélado em 2015. As descobertas do mundo oceânico feitas pela Cassini e pelo Hubble ajudarão a informar a exploração futura e a busca mais efetiva de vida além da terra.

    Sonda Cassini se prepara para voo de despedida

    © Foto: NASA/JPL-Caltech
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    272

    A sonda da NASA, Cassini, inicia hoje (19) seu último voo através dos anéis de Saturno rumo ao satélite, Titã. Assim, a sonda está se preparando para encerrar sua longa vida mergulhando na atmosfera do planeta gigante de gás em 15 de setembro, informa a agência espacial da NASA.

    A aproximação de Titã mudará a órbita da Cassini e a sonda será capaz de mergulhar no espaço entre Saturno e seus anéis. Tais manobras serão realizadas cada semana e prolongam-se até o fim da sua missão em setembro, diz o comunicado da NASA.

    Os astrônomos da agência espacial apontam que "a Cassini está se preparando para realizar sua última apresentação na ópera espacial".

    Há mais de 20 anos longe da Terra, a estação interplanetária Cassini iniciou, no fim de novembro de 2016, a última etapa da sua vida, reconhecida oficialmente como "Final da ópera".

    Durante sua missão, a sonda da NASA tem realizado uma série de manobras orbitais que a permitiu passar muito próximo de Titã, mudou sua rota e no fim de dezembro mergulhou nos anéis do planeta gigante. Nós últimos meses, a Cassini realizou mais de 20 mergulhos semelhantes, fazendo muitas descobertas significativas e enviando dados novos para a Terra.

    Enquanto isso, a sonda mãe seguiu na órbita de Saturno, descobrindo, por exemplo, que os anéis de Saturno são formados por fragmentos de gelo com o tamanho até de uma casa e que a Lua Enceladus possui gêiseres de gelo em sua superfície.

    Visão artística da siperfície de Titã, satélite de Saturno
    Visão artística da siperfície de Titã, satélite de Saturno

    Então, nesse dia, a Cassini fará o primeiro de uma série de 22 voos finais pela região inexplorada dos mais de 2,4 mil quilômetros que separam Saturno dos seus anéis. O objetivo dos cientistas é aproveitar esses últimos dias da sonda para aprender sobre a estrutura interna do planeta e sobre as origens dos anéis.

    Destaca-se também que Cassini irá tirar fotografias das "ilhas" nos maiores mares carbônicos do planeta que, segundo os cientistas, representam bolhas de azoto que sobem para a sua superfície.

    Em 15 de setembro de 2017, sob o comando dos engenheiros da agência, depois de uma série de 22 sobrevoos entre o planeta e seu satélite, a Cassini vai penetrar na atmosfera de Saturno, enviar as últimas informações à Terra e se desintegrar, como uma estrela cadente, fundindo-se ao planeta que ajudou a desvendar.

    Mais:

    NASA mostra fotos exclusivas do 'disco voador' de Saturno
    O que acham cientistas russos sobre possibilidade de vida no satélite de Saturno?
    NASA anuncia que lua de Saturno pode abrigar vida
    NASA publica foto do satélite de Saturno parecido com ravióli
    Tags:
    missão espacial, mergulho, fotos, descoberta, sonda espacial, planeta, Cassini, NASA, Saturno, Espaço, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik