15:48 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Planetas

    Cientistas australianos pedem ajuda ao público para localizar mundo misterioso

    © Foto: Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    3299642

    Nos confins do Sistema Solar haverá um grande planeta, por enquanto desconhecido, que os astrônomos apelidaram de Planeta Nove.

    Muitos acreditam que o planeta existe de fato — os pesquisadores da Universidade Nacional Australiana (ANU) criaram uma plataforma científica para pedir ajuda do público a encontrá-lo.

    Apesar da confusão sobre como o Planeta Nove apareceu e onde ele está localizado, os astrônomos acreditam que o corpo celeste existe realmente — talvez em algum lugar entre o oitavo planeta Netuno e o ex-planeta Plutão, no Cinturão de Kuiper, um anel de asteróides rochosos e estrelas anãs.

    Isso colocaria o planeta, com uma massa igual a Netuno, em órbita elíptica 10 vezes mais distante do Sol do que Plutão — e pode significar que ele não nasceu originalmente no Sistema Solar, mas em algum ponto se aproximou muito perto do Sol e foi preso pela gravidade.

    ​Isso colocaria o planeta de massa de Netuno em órbita elíptica 10 vezes mais distante do Sol do que Plutão — e pode significar que ele não nasceu originalmente do sistema solar da Terra, mas em algum ponto se afastou muito perto do Sol e foi preso pela gravidade.

    Especula-se que encontrar o Planeta Nove — ou Planeta X, como alguns que negam a "desqualificação" de Plutão se referem a ele — poderá levar décadas. No entanto, os pesquisadores da ANU estão determinados a acelerar a descoberta e decidiram pedir a ajuda do público, em uma campanha no Zooniverse, batizada de Backyard Worlds: Planet 9.

    ​Motivado pela crença de que, se existir um nono planeta, ele já terá sido capturado em pelo menos uma das imagens do telescópio robótico do Observatório Siding Spring, os voluntários foram encarregados de identificar objetos potencialmente interessantes em imagens pequenas do céu austral.

    Qualquer entusiasta pode simplesmente visitar a página, criar uma conta e começar a digitalizar os snaps. Com centenas de milhares de imagens para trabalhar, a equipe precisa de toda a ajuda que possa obter.

    A equipe estima que os usuários encontrem um "objeto de movimento elevado conhecido" em média uma vez em 60 imagens — embora esses elementos sejam apenas o que já é conhecido. Descobrir algo novo nas imagens requer dedicação real, embora se nada for encontrado em 100 imagens, os voluntários podem estar indo muito rápido.

    "Tome seu tempo, olhe fixamente em cada um dos artefatos para ver se ele se movimenta em torno diferentemente do outro, e certifique-se de que o brilho de seu monitor está no máximo. Pode ajudar dividir mentalmente as imagens em quatro quadrantes e olhar em um quadrante por vez, enquanto a animação é reproduzida. E lembre-se, mesmo se você não encontrar nada, suas classificações ainda são úteis; eles estão nos dizendo que as anãs marrons são comuns ou raras e como restringir futuras buscas do Planeta Nove", afirma a equipe.

    Qualquer astrônomo amador que ajude a equipe em sua busca terá um papel no "batizado" do novo planeta — embora existam certas restrições sobre como o planeta pode ser chamado. Por exemplo, Planety McPlanetyface está completamente fora de questão.

    Mais:

    Nova pesquisa científica revela que estrela Sol tem traços de planeta
    Tags:
    planeta anão, Planeta 9, Plutão, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik