10:12 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Uma cientista perante o microscópio

    Cientistas russos testam com sucesso substância que retarda envelhecimento

    © Sputnik / Maksim Bogovid
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    5143

    Biólogos russos realizaram com sucesso testes de uma substância que retarda o envelhecimento de células, prolongando a vida de ratos em 15% ou 45 dias e publicaram os resultados na revista Aging.

    "Esta pesquisa tem bastante significado tanto no sentido teórico, como do ponto de vista prático. Por um lado, ela mostra o papel fundamental das formas ativas de oxigênio, produzidas por mitocôndrias, durante o envelhecimento de mamíferos. Por outro lado, se abre um caminho para o tratamento do envelhecimento com antioxidantes dirigidos especificamente às mitocôndrias", afirma o cientista Vladimir Skulachev, diretor da faculdade de bioengenharia e bioinformática da Universidade Estatal de Moscou Lomonosov, citado pela Aging.

    A equipe de cientistas chefiada por Skulachev está trabalhando na criação de preparados que retardem o envelhecimento de uma das partes mais importantes das células – suas mitocôndrias, que são uma espécie de "geradores" de energia do nosso corpo.

    Nelas (nas mitocôndrias) ocorre o processo de oxidação de nutrientes e a transformação da sua energia em moléculas ATP que libertam a energia necessária para o funcionamento de célula.

    Há vários anos, a equipe de cientistas descobriu a molécula SkQ1 que pode resolver o problema. Ela é uma espécie de antioxidante forte capaz de se inserir nas mitocôndrias e neutralizar as moléculas agressivas de oxidantes que a prejudicam destruindo suas paredes.

    Os cientistas realizaram testes em ratos especiais, que foram geneticamente predispostos para o surgimento de mutações acidentais no DNA de mitocôndrias. Tais ratos vivem menos do que os ratos normais (cerca de 280-290 dias em vez de 2 ou três anos). Sua morte é causada pela acumulação de mutações e destruição de mitocôndrias, o que mata suas células, provoca envelhecimento prematura e a morte.

    ​​Os ratos foram divididos em dois grupos. Um grupo comia comida simples e o outro tinha uma dieta com a molécula SkQ1. Como resultado, os ratos do grupo de controlo começaram emagrecendo, perdendo pelo e envelhecendo.

    Os ratos que foram tratados com SkQ1 não mostraram sinais de envelhecimento durante mais de 40-45 dias e viveram cerca de 335 dias, enquanto os do grupo de controle apenas 290 dias no máximo.

    A substância está contida nos colírios "Visomitin" que a equipe de cientistas está fornecendo às farmácias russas há vários anos.

    Mais:

    Cientistas russos descobrem chave para extrair ouro a partir do... carvão!
    Cientistas russos criam novo explosivo superpotente
    Tags:
    descoberta, farmácia, envelhecimento, cientistas, equipe, ratos, teste, pesquisa científica, Universidade Estatal de Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik