12:56 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Aparelho submersível chinês Jiaolong

    China pretende liderar na construção de aparelhos submersíveis

    © AFP 2017/ STR
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    153840

    Recentemente, a Corporação de Construção Naval da China (CSIC) anunciou que está desenvolvendo um novo aparelho submersível capaz de alcançar o fundo de qualquer mar ou oceano.

    Deste jeito a China pretende assumir a liderança na criação de aparelhos submersíveis, destacou o especialista russo Vasily Kashin em entrevista à Sputnik China.

    Segundo ele, até agora o aparelho tripulado chinês que alcançou maior profundidade foi o Jiaolong, atingindo 7062 metros em 2012. Após isso, o aparelho não-tripulado Haidou-1, pertencente à Academia de Ciências da China, chegou até aos 10.767 metros de profundidade em agosto de 2016.

    Kashin destaca que a China é um dos cinco países (além dos EUA, Rússia, França e Japão) com capacidade para construir módulos submersíveis que descem a mais de 6 mil metros.

    A China desenvolve aparelhos submersíveis desde os anos de 1980, e desde os anos de 1990 fá-lo com participação ativa da Rússia. Por exemplo, o Jiaolong foi resultado da parceria entre a corporação chinesa CSIC, o Instituto Central de Pesquisas Acadêmico Krylov e o estaleiro de construção naval do Báltico.

    Kashin explica que a China considera prioritário desenvolver aparelhos submersíveis de grande profundidade para fortalecer o prestígio nacional, obter mais capacidades para explorar o fundo marítimo e realizar novas pesquisas neste campo. Além disso, tais tecnologias poderão ter importância em termos militares, acrescenta.

    De acordo com especialista, atualmente as profundidades que superam algumas centenas de metros são pouco usadas por militares. A Marinha da Rússia possui hoje estações nucleares submarinas AS-12 capazes de submergir até 3 mil metros, talvez mesmo até 6 mil metros, e equipadas com manipuladores especiais para operar no fundo marinho. Essas estações estão instaladas nos submarinos nucleares russos BS-64 Podmoskovie e BS-411 Orenburg e permitem destruir sistemas de monitoramento de submarinos, tais como o SOSUS, revela Kashin.

    Por seu turno, os EUA também possuem aparelhos submersíveis de grande profundidade instalados no submarino USS Jimmy Carter da classe Seawolf.

    Assim, o especialista russo conclui que os preparativos da China para dominar no Pacífico vão requerer investimentos consideráveis em aparelhos deste tipo. O país poderá ganhar essa experiência através da criação de aparelhos científicos e industriais.

    Mais:

    China espera resolver incidente com drone capturado dos EUA de modo 'suave'
    Marinha chinesa captura drone submarino dos EUA no mar do Sul da China
    Tags:
    construção, parceria, monitoramento, submarino, submersível, Sputnik, Marinha da Rússia, Pacífico, Japão, França, EUA, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik