18:49 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    A cratera grande de Occator, no planeta anão Ceres, iluminada de cores irreais para mostrar as diferenças no perfil da superfície

    No planeta anão mais próximo do Sol, há jazidas de gelo (VÍDEO)

    © NASA. NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    273

    Ceres é o terceiro planeta anão do Sistema Solar, depois da Lua e Mercúrio, onde existem jazidas abertas de gelo, escondidas dos raios do Sol em crateras polares, onde nunca entra luz, afirmaram os investigadores da missão Dawn em matéria publicado na revista Nature Astronomy.

    Desde fevereiro de 2015, quando a sonda Dawn encontrou manchas brancas misteriosas na cratera Occator, na superfície de Ceres, os cientistas começaram a presumir que nos subsolos ou na superfície do planeta anão poderiam estar escondidas reservas de água muito grandes, responsáveis pela claridade dos locais onde se encontram, cuja essência — jazidas de soda — foi descoberta há pouco tempo.

    Devido ao fato de Ceres estar localizado próximo ao Sol, a hipótese fez surgir mais uma charada para os cientistas: como pode haver água na superfície do planeta e ela não ter se evaporado nos bilhões de anos da existência do Sistema Solar? A resposta é simples, crateras em Ceres, onde não nunca entra luz da maior estrela, o Sol.

    Por essa razão, Norbert Schorghofer, pesquisador da Universidade de Havaí em Manoa (EUA), há quase um ano estuda as imagens da superfície de Ceres, tiradas pela sonda Dawn, a fim de encontrar tais crateras e a fonte do gelo nas misteriosas manchas brancas. Em julho desse ano, foram divulgados os primeiros resultados da exploração, entre eles, a descoberta de algumas dezenas de crateras "escuras" com possíveis jazidas de água congelada.

    Após a análise detalhada do material, os cientistas encontraram nos polos de Ceres mais de seiscentas crateras, onde reina a noite eterna. Entre as centenas de crateras descobertas, em dez foram encontradas jazidas claras de minerais que refletem luz. Somente uma delas, de acordo com a observação do espetro de irradiação, refletido do fundo da cratera, contém jazidas abertas de gelo.

    A descoberta causou entusiasmo entre os cientistas, pois isso significa que as crateras de Ceres contêm menos gelo do que a Lua ou Mercúrio, apesar de o planeta anão estar localizado mais perto do Sol do que o satélite da Terra ou o primeiro planeta do Sistema Solar.

    Isso só comprova a existência de mecanismos que impossibilitam o acúmulo de grande quantidade de gelo nas crateras de Ceres. Segundo os cientistas, tais comprovações possuem caráter geológico. Nos últimos dois anos, a sonda Down registrou muitas evidências que comprovam a mudança permanente da superfície do planeta anão devido aos processos realizados nos seus sobsolos.

    Mais:

    NASA revela 'desenhos' misteriosos na superfície de Ceres
    Diretor da NASA: Rússia ajudará os EUA a desbravar caminho à Lua e Marte
    NASA: gravidade artificial é indispensável para voos prolongados ao espaço
    E aí, será que já nevou em Marte?
    Planetólogos desvendam mais um segredo do 'coração congelado' de Plutão
    Tags:
    superfície, raios, jazidas, planeta anão, água, gelo, cratera, NASA, Lua, Sol, Terra, Sistema Solar, Ceres
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik