22:14 10 Dezembro 2016
Ouvir Rádio
    Inteligência artificial

    A cura da cegueira está próxima, afirmam cientistas russos

    © Foto: Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    62665110

    Cientistas do Centro de Análises Clínicas de Medicina Físico-Química da Rússia (CAC MFQ) cultivam retina através da reprogramação de células; estudos na área ajudarão a curar a cegueira, disse na quinta-feira (1) o jornal Izvestia.

    De acordo com o jornal, o primeiro transplante de teste será realizado em 2017. Com a ajuda de novas tecnologias celulares, os cientistas planejam posteriormente realizar estudos no tratamento da doença de Parkinson.

    "Reprogramação de células é um fenômeno bastante novo na ciência. A descoberta é de autoria do professor da Universidade de Quioto, Signa Yamanaka, o qual descobriu a capacidade única de células humanas de determinados tecidos, como, por exemplo, fibroblastos ou epitélio da pele, de mudarem sua estrutura para o estado embrionário. As células-tronco podem dar origem a quase todo tecido. Por exemplo, a partir dos fibroblastos da pele pode-se criar a retina. Esta operação permitirá tratar, por exemplo, pacientes que estão perdendo a visão por causa de degeneração macular — doença esta causadora da cegueira em pessoas com mais de 55 anos", escreve o jornal, citando o diretor geral do CAC MFQ, Vadim Govorun.

    O Laboratório de biologia celular disse ao jornal que o tecido mais fácil de ser trabalhado no método de reprogramação celular é a pele, pois a realização da biopsia não causa danos graves ao paciente e as células se multiplicam significativamente.

    Segundo o chefe do Laboratório de Tecnologias Biomédicas do CAC MFQ, Sergei Kiselev, testes clínicos de transplante de retina estão sendo executados atualmente nos EUA e na Europa. Eles também foram realizados no Japão, que foram temporariamente suspensos devido a mudanças na legislação, mas o país pretende seguir com o desenvolvimento da técnica em 2017. Quando se trata da Rússia, os cientistas "estão esperando a aplicação da lei ‘Sobre trabalhos na área da biomedicina celular' (1 de janeiro de 2017) e aprovação das atas normativas conforme a mesma", escreve o jornal.

    Os primeiros pacientes que se submeterão ao transplante de retina serão pessoas que sofrem de degeneração macular hereditária, diz o Izvestia. Mesmo havendo alguns tratamentos que retardam o progresso da cegueira, os pacientes com degeneração macular genética começam a cegar entre 20 e 30 anos, pois não há, até hoje, um remédio contra ela.

    O diretor geral do CAC MFQ informou ao jornal que a instituição cresceu significativamente, chegando a realizar testes em animais com neurônios humanos.

    "O transplante [de neurônios humanos], juntamente com o procedimento da correção de genoma, ajudará no tratamento de pacientes com doença de Parkinson. No mundo, tais testes clínicos já estão sendo realizados. Na Rússia, eles serão possíveis se houver interesse das instituições especializadas — neurocirúrgicas e neurológicas — e somente após a aprovação da lei", observa Izvestia.

    Mais:

    Cientistas russos descobrem chave para extrair ouro a partir do... carvão!
    Cientistas russos instalarão uma base no Ártico
    Cientistas russos: interior de Netuno e Urano pode conter 'ácido Hitler'
    Tags:
    cientistas, ciência, Izvestia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Em foco