11:35 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O pôr do Sol no Ártico

    Vem aí uma mini Era do Gelo com consequências catastróficas para a Terra

    © Sputnik/ Alexander Liskin
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    7530589807

    Estudos recentes sugerem que a atividade solar está diminuindo a um ritmo mais rápido do que em qualquer outro momento na história. Os cientistas prevêem que essa tendência vai continuar ao longo dos próximos quatro anos, levando a Terra a uma mini idade do gelo, com consequências desastrosas para o planeta.

    O meteorologista e astrofísico britânico Piers Corbyn prevê que a Terra vai enfrentar nos próximos anos uma mini era do gelo que irá ter consequências devastadoras para o planeta, informa o jornal britânico Express.

    Estudos recentes sugerem que a atividade solar está diminuindo a um ritmo mais rápido do que em qualquer outro momento na história. Os cientistas prevêem que essa tendência vai continuar ao longo dos próximos quatro anos, atingindo um mínimo entre 2019 e 2020, e que até 15 anos terão que passar para que o sol volte a uma atividade normal.

    "Estamos diante de um declínio na atividade solar e estamos caminhando para um período de mais inatividade. Isto pode causar uma mudança nas correntes de jato da atmosfera em direção ao sul, fazendo com que as latitudes temperadas, onde se encontram a Europa e a América do Norte, se esfriem", alertou o especialista.

    Corbyn indica que, como resultado, "as temperaturas vão cair, levando ao congelamento da água do oceano e à formação de gelo nas costas da Europa". “Esperamos que se produza uma mini era do gelo", diz ele.

    O meteorologista salientou que há uma ligação entre estas grandes mudanças na atividade solar e o surgimento de fortes terremotos devido a uma redução na força dos campos magnéticos ao redor da Terra. Segundo ele, "o Japão, os EUA, as Filipinas e as regiões propensas a terremotos do Oriente Médio e da Ásia estão prestes a se colocar em alerta máximo”.

    Uma quantidade menor de erupções solares está associada com um período de menor atração magnética sobre a superfície da Terra, que detém o movimento das placas tectônicas e faz com que uma enorme pressão se acumule abaixo do crosta terrestre. O resultado, diz Corbyn, é como uma panela de pressão em que qualquer ligeiro movimento é capaz de desencadear um forte terremoto.

    Mais:

    Roscosmos planeja estudar proximidade imediata do Sol
    Cientistas mostram o ‘rosto irritado’ do Sol
    Susto ou alegria? O que significa a ausência de manchas no Sol?
    NASA descobre buracos no Sol
    Tags:
    terremoto, idade do gelo, mini era do gelo, era glacial, período glacial, era do gelo, atividade solar, Piers Corbyn, América do Norte, Europa, Sol, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik