03:58 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Cientista da Universidade Estatal de Tomsk Sergei Leschinsky examinando ossos de mamute

    Fragmentos únicos de mamutes descobertos na Rússia

    © Foto: Tomsk State University
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    146560

    Paleontólogos da Universidade Estatal de Tomsk encontraram os fragmentos dos mais recentes mamutes que habitaram a Terra. O achado foi realizado durante uma expedição à região de Novosibirsk, informa o site oficial da universidade.

    Segundo os dados, os cientistas conseguiram achar mais de 600 fragmentos de grandes mamíferos do final da época geológica Plistoceno do norte da Eurásia. Os fragmentos são de 11 a 17 mil anos atrás.

    As escavações foram realizadas no maior 'cemitério' de fragmentos mortais de mamutes na Eurásia. Em uma profundidade entre 1,7 e 2,1 metros, os paleontólogos extraíram do solo, fósseis de mamutes que tinham tamanho muito maior se comparado com mamutes mais antigos.

    Os fragmentos descobertos estão em ótimo estado de conservação. Segundo informou o chefe do laboratório universitário responsável por estudos de ecossistemas continentais dos períodos Mezozóico e Cenozóico, Sergei Leschinsky, esse grande 'cemitério' foi um dos últimos locais onde viveram representantes da fauna de mamutes, pois em outros locais eles já haviam morrido.

    O cientista espera que seja possível encontrar fragmentos de mamíferos que morreram há 10 mil anos e até menos.

    Os paleontólogos revelaram que muitos mamutes tinham traços de doença de esqueleto, supostamente causada pela falta de minerais. É por essa razão que mamutes vinham a esse local para suprir a falta de nutrientes e outras substancias necessárias.

    A exposição organizada pela universidade, que contou com participação de estudantes da Rússia, França e Cazaquistão, teve por objetivo examinar a fauna de mamutes em novos locais da região de Novosibirsk.

    Mais:

    Mamute bebê com 37.000 anos exposto em museu russo
    Mamute 2.0 - Expedição ártica encontra restos clonáveis do animal extinto
    Tags:
    escavação, solo, depósito, cemitério, morte, mamute, Tomsk, Cazaquistão, França, Novosibirsk, Eurásia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik