14:18 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Imagem da galáxia na Via Láctea feita pelo telescópio da NASA em 2004

    Cientistas descobrem 'farol' da Via Láctea

    © AFP 2019/ NASA
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    291
    Nos siga no

    Até agora não se tinha conseguido calcular a distância até esta estrela.

    Astrónomos russos e estrangeiros mediram pela primeira vez a distância até ao pulsar 2S 1553-542 na "parte de trás" da nossa galáxia e que se descobriu ser uma das estrelas de nêutrons da Via Láctea mais distantes de nós, diz o artigo da revista Monthly Notices of the Royal Academy of Sciences.

    O pulsar foi descoberto em 1975. Os estudos indicaram que é uma estrela dupla constituída por um pulsar e uma gigante azul espalmada parecida com um ovo deformado por causa de sua grande velocidade de rotação.

    Segundo Aleksandr Lutovinov, especialista do Instituto de Estudos Espaciais da Academia de Ciências da Rússia, este pulsar atrai a atenção dos astrónomos há muito tempo porque o seu companheiro esteva invisível até ao último momento. Isso indicava que o 2S 1553-542 estava longe e isso não permitia avaliar a distância entre a Terra e esta estrela de nêutrons.

    O mistério deste pulsar foi resolvido somente agora graças ao relâmpago que aconteceu no fim de 2015. Estes objetos celestes são cefeídas, uma espécie de "farol espacial" que permite avaliar distâncias espaciais devido ao caráter das suas pulsações.

    Usando as coordenadas precisas do pulsar, astrónomos russos e estrangeiros conseguiram encontrar não uma, mas cinco estrelas no local onde se prevê que esteja o pulsar. Isso colocou o problema de determinar qual delas é o satélite do 2S 1553-42.

    A equipe de Lutovinov conseguiu "decifrar" as caraterísticas espectrais de todas as cinco estrelas e encontrar uma entre elas com as características correspondentes.

    Descobrindo a estrela, os cientistas conseguiram calcular a distância até ao pulsar. Ela é inesperadamente muito grande – a estrela fica a 65-78 mil anos-luz da Terra no lado oposto da galáxia, num dos extremos da constelação de Sagitário. É o pulsar e estrela dupla de raio X mais distante que se conhece até este momento.

    Mais:

    Exploração de recursos no espaço se torna realidade
    Militares russos provam que sabem defender seu espaço aéreo
    Rússia colocará no espaço novo sistema de informações Razdan
    Tags:
    Via Láctea, estrelas, cientistas, NASA, Espaço, Grã-Bretanha, Terra, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar