21:40 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O pôr do Sol no Ártico

    Mercúrio é uma grande ameaça ao Ártico

    © Sputnik / Aleksandr Liskin
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    131
    Nos siga no

    Degelo no Ártico resultante do aquecimento global representa grande ameaça à humanidade.

    Mas além desse problema global existe outra ameaça não menos grave – a concentração excessiva de mercúrio, um veneno letal.

    Hoje, pesquisadores suecos começarão uma viagem de longa duração no navio de reconhecimento Oden junto à costa de Svalbard, Noruega, com objetivo de determinar o volume exato de mercúrio no Ártico.

    Em entrevista à Swedish Radio, a diretora da pesquisa Katarina Gardfeldt explicou que, junto com outras substâncias poluentes, o mercúrio tem tendência de acúmulo tanto no Ártico, como na Antártida. Quando o gelo do oceano derrete, há boas razões para suspeitar que ocorre uma grande quantidade de substâncias tóxicas congeladas no gelo marinho será liberada.

    ​Concentrações consideráveis de mercúrio podem ser extremamente tóxicas para seres humanos e animais.

    A última pesquisa sobre mercúrio no Ártico, feita em 2008, revelou grandes quantidades dessa substância na água.

    Segundo as estimativas, cerca de 500 toneladas de mercúrio caem com a chuva sobre o Ártico a cada primavera. Além de usinas obsoletas que usam carvão, a maior parte do mercúrio provem de produções de ouro de pequena escala.

    Inicialmente, o mercúrio era usado na fundição de ouro e na extração do ouro e prata do minério, liberando vapores perigosos na atmosfera. Mais tarde, foram introduzidos métodos mais eficientes e ao mesmo tempo menos perigosos para o ambiente.

    ​Por essa razão, a pesquisadora sueca ressalta a importância da cooperação com uma rede de várias organizações a fim de acabar com uso de mercúrio no processo de produção de ouro, o que vai beneficiar homem e a natureza.

    "Uma das alternativas é providenciar ensino e oportunidades adicionais de renda para que as pessoas não trabalhem em ambiente tão perigoso", diz a cientista.

    As concentrações de mercúrio em mamíferos marinhos do Ártico são das mais altas no mundo. O homem é a fonte de 80 por cento de mercúrio. A acumulação desse elemento tóxico se deve às condições atmosféricas e ao fluxo dos rios circumpolares que levam mercúrio ao Oceano Ártico.

    Para o homem, o mercúrio é uma forte neurotoxina capaz de provocar atrasos no desenvolvimento de crianças e doenças cardiovasculares em adultos.

    Mais:

    Rússia desenvolve sistema de sonar para proteger o Ártico
    China abre caminho para o Ártico
    Tags:
    pesquisadores, ser humano, substâncias tóxicas, perigo, animais, Noruega, Suécia, Ártico, Antártida
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar