23:52 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    Na última quarta-feira, foi lançado o aplicativo para celulares "Pokémon Go", que permite aos jogadores capturar os monstrinhos do desenho japonês em situações reais do dia a dia. No Brasil, o game acabou ganhando outras criaturas além das mais tradicionais, incluindo ratos, pombos e até o Fuleco, mascote da Copa do Mundo de 2014, com uma escopeta.

    Utilizando tecnologia de geolocalização, o jogo da Nintendo avisa aos usuários quando um monstro está nas redondezas, para que o mesmo seja capturado antes de atacar o jogador. 

    Originalmente, a franquia possuía pouco mais de 700 bichinhos. Mas, no mundo real brasileiro, o dos memes, a lista de pokémons está se mostrando infinita: 

    Apesar das brincadeiras, a mania de capturar monstros também vem tendo algumas consequências nada divertidas pelo país. Acidentes associados ao jogo já foram relatados em diferentes partes. O caso mais chocante até agora foi o de um homem que acabou se desequilibrando na janela do seu apartamento quando tentava pegar um pokémon e caiu do 16º andar de um prédio em Belo Horizonte, morrendo na hora.

    Mais:

    Desenho animado provocatório mostra como estragamos o planeta
    Emagrecer com pornô é simples, afirma Pornhub com novo game
    Dilma aparece vestida para matar em game ‘Impeachment - Dia de Fúria’
    Game japonês simula realidade paralela e promete deixar Matrix no chinelo (VÍDEO)
    ‘Pula Molusco!’: game ajuda Lula a fugir do inquérito
    Tags:
    aplicativo, games, Pokémon Go, Pikachu, Fuleco, Nintendo, Pokémon, Belo Horizonte, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar