10:48 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Telescópio Hubble

    Hubble recebeu imagens de galáxia onde não nascem estrelas

    © Foto: YouTube/screenshot
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 136281

    O telescópio espacial Hubble recebeu fotos da galáxia anã incomum LEDA 677373, na constelação de Hydra, em que, por quaisquer razões misteriosas, não se formam novas estrelas há cerca de 6 bilhões de anos, informa o site do telescópio espacial.

    Uma das vizinhas mais incomuns da Via Láctea, onde está a Terra e todo nosso Sistema Solar, a galáxia LEDA 677373 é uma pequena "metrópole estrelar", localizada à distância de apenas 14 milhões de anos-luz.

    ​Esta galáxia está atraindo a atenção de cientistas porque pode servir como prova da versão espacial do conceito "childfree". Apesar das enormes reservas de hidrogênio neutro e outros materiais de que se formam novas estrelas, a possibilidade de formação de estrelas nela se aproxima do zero.

    As observações da galáxia através das câmeras do Hubble mostraram que a LEDA 677373 está permanecendo neste estado pelo menos há seis bilhões de anos, por isso quase todas suas estrelas são hoje anãs vermelhas ou gigantes azuis desgastadas.

    Os cientistas ainda não sabem por que isso está acontecendo. De acordo com uma das teorias, as imagens do Hubble e de outros telescópios sugerem que a galáxia pode realmente ser uma vítima de "vampirismo" do espaço. Sua vizinha, a galáxia espiral M83, chamada pelos astrônomos de Cata-vento do Sul, por analogia com a galáxia M101 no hemisfério norte, pode roubar materiais da LEDA 677373. Este parasitismo cósmico, como acreditam os cientistas, pode impedir o nascimento de novas estrelas na galáxia anã.

    Mais:

    Nos confins do Universo: Hubble fotografa galáxia mais distante já vista pelo homem
    Telescópio Hubble fotografa smiley extraterrestre
    Tags:
    astronomia, reservas, cientistas, imagens, sistema solar, espaço, telescópio, Hubble, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik