05:57 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Membro da polícia militar durante patrulha de comunidades de Praia da Ramos e Roquette Pinto, Rio de Janeiro, 1 de abril 2015

    Como ficar fora dos Jogos morando no Rio?

    © AFP 2019 / CHRISTOPHE SIMON
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    531
    Nos siga no

    Nos tempos modernos uma festa de esportes como os Jogos Olímpicos não é somente um evento de alegria e a atmosfera de triunfo, mas é também uma fonte de ameaças.

    O recente relatório dos funcionários da empresa Kaspersky Lab lista várias formas de ataques que podem ser realizados contra visitantes dos Jogos e aos que vão assistir a Olimpíada online. Entre as áreas onde os amadores de esportes podem se encontrar com ameaças potenciais, entre outros, são o processo de venda de ingressos na Internet, o uso de redes WiFi gratuitas no Rio, o uso de totens de carregamento de celulares e tabletes e o uso de caixas eletrônicos. Todas estas ameaças podem arruinar a sua estadia no Rio durante os Jogos.

    Segundo o relatório, recentemente os internautas brasileiros recebem cada vez mais e-mails com apelos atraentes como "obtenha o seu ingresso gratuito para os Jogos". Tais e-mails, como regra, contêm links para sites falsos que, entretanto, parecem verdadeiros tendo em conta a qualidade de imagem e o profissionalismo com o qual o site foi feito. Apesar disso, não convém acreditar em tais sites. Às vezes, tais sites oferecem ingressos a preço muito baixo que pode ser nada mais que uma fonte de enriquecimento dos fraudadores. Você paga mas não recebe nenhum ingresso, enquanto os fraudadores recebem seu dinheiro tão desejável.

    Os especialistas da Kaspersky Lab afirmam que tais atividades também estão espalhadas pelas redes sociais como o Facebook, onde oferecem participação de um sorteio de ingressos gratuitos. O relatório destaca que agora é demasiadamente tarde comprar ingressos, os quais já estão esgotados.

    Outra ameaça é o uso de redes WiFi gratuitas que podem ser encontradas no Rio. Os especialistas da empresa Kaspersky Lab monitoraram redes WiFi em locais da Olimpíada no Rio – a área do Comitê Olímpico Brasileiro, o Parque Olímpico e três estádios – Maracanã, Maracanãzinho e Engenhão. Nestes locais eles detectaram mais de 4,5 mil pontos de acesso. Deles, 18% não asseguram a proteção dos dados transferidos dos usuários. Isso significa que é melhor usar as redes que foram recentemente configuradas especialmente para os Jogos. Os especialistas aconselham a usar também uma conexão VPN que deixará todos seus dados criptografados, ou seja, protegidos.

    Outro desafio para os que compraram os seus ingressos com antecedência e vão chegar ao Rio é o uso de totens de carregamento de celulares, que é uma coisa necessária para os que compartilham informações longe de casa. Há vários tipos de totens – com cabos, sem cabos mas com tomadas, inclusive de USB. Os especialistas da Kaspersky Lab afirmam que conectar a tais totens via USB não é seguro, os celulares podem ser atacados ou infectados. Os dados de visitantes do Rio 2016 podem ser colhidos e usados no interesse dos fraudadores. A melhor escolha é sempre levar seu cabo-carregador com você e não usar portas de USB de uso público.

    Mais um desafio que espera os visitantes dos Jogos são os caixas eletrônicos. A Kaspersky Lab avisa que há caixas falsos que visam recolher dados, como a senha e o número de cartão de crédito ou débito, e cloná-lo. Também há diferentes tipos de "chupa-cabras", ou seja, câmeras que gravam senhas e copiam a tarja magnética dos cartões. Para diferenciar caixas verdadeiros de caixas falsos é necessário prestar atenção à aparência do caixa. Caixas falsos não possuem algumas das partes necessárias. Também é sempre necessário cobrir com a mão o teclado quando está digitando a senha.

    Tags:
    desafios, cibersegurança, ciberataque, ameaças, Jogos Olímpicos, Rio 2016, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar