05:47 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Abelha

    Reprodução sem participação do sexo masculino é possível

    © AFP 2019/ ERIC FEFERBERG
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    212
    Nos siga no

    As abelhas do Cabo, que habitam na África do Sul, têm evoluído de uma forma que podem se reproduzir sem participação dos machos da espécie. Os pesquisadores da Universidade de Uppsala (Suécia) conseguiram perceber o funcionamento genético deste método reprodutivo.

    Segundo explica à edição El Mundo Matthew Webster, o pesquisador deste projeto, estas abelhas são as únicas que podem se reproduzir desta forma, embora um comportamento semelhante tenha sido observado em algumas espécies de formigas e vespas.

    No caso das abelhas do Cabo, as fêmeas operárias fecundam os ovos, se necessário, com seu próprio DNA.

    "As abelhas operárias do Cabo põem ovos diploides [isto é, com dois conjuntos completos de cromossomos, como as células de adultos] graças a um tipo de divisão celular anormal chamada telitoquia", disse Webster ao El Mundo.

    O trabalho realizado pelos pesquisadores permitiu encontrar diferenças a nível genético entre as abelhas do Cabo e outras abelhas que habitam nessa região, embora o processo reprodutivo continue sendo um mistério não resolvido.

    Aparentemente, este método é usado pelas fêmeas quando elas se encontram com uma espécie diferente de abelhas, atuando como parasitas da colônia 'estrangeira'. Em condições normais, as abelhas se reproduzem de forma habitual.

    No entanto, Webster não tem certeza em relação às vantagens deste método. "Sabemos que este tipo de abelhas só se encontra em uma ecorregião particular [Fynbos], no sul da África do Sul, então talvez se trate de um mecanismo de adaptação para viver lá", salientou o pesquisador.

    Mais:

    PIB Verde vai monitorar crescimento da economia e preservação da natureza
    Milagre da natureza: deserto se torna um tapete de flores
    Cientistas descobrem natureza das alucinações
    Tags:
    DNA, cientistas, pesquisa, reprodução, natureza, África do Sul, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar