04:05 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Montagem do avião MS-21 Irkut.

    Chefe da Agência Paraná de Desenvolvimento destaca qualidades do MC-21 russo

    © Foto: Irkut Corporation
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    22135181

    Em visita à Rússia, onde participou nesta semana da cerimônia de apresentação do avião russo Irkut MC-21, ao lado da vice-governadora Cida Borghetti, o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto, falou em entrevista à Sputnik sobre as qualidades da aeronave e sobre o centro de produção de peças de aviões em Maringá.

    No ano passado, o Governo do Paraná assinou um acordo para implantar na cidade unidades de fabricação de peças e partes de aeronaves e centros de operação para atender o Brasil e a América Latina. De acordo com a APD, a Irkut Corporation está expandindo os seus negócios e a instalação de uma unidade no Brasil é estratégica para a entrada nos mercados da região.

    Segue abaixo a transcrição da entrevista realizada com o presidente da agência.

     

    Sputnik: O que o senhor poderia destacar da apresentação do avião MC-21 em Irkutsk?

    Adalberto Netto: Como foi destacado por algumas mídias, o avião realmente é talvez o primeiro avião que é de fato inovador no segmento, onde também concorrem Boeing e Airbus. Tivemos também oportunidade de viajar a Irkutsk e acompanhar de perto várias inovações tecnológicas do MC-21. Isso é o que está atraindo o interesse das empresas do Brasil e da América Latina.

    S: Quais seriam algumas das particularidades técnicas da aeronave?

    AN: Eu acho que o mais importante que chamou a minha atenção e a das companhias aéreas é em relação à economia do combustível e redução de poluentes. Devido à nova tecnologia empregada no MC-21. O mais notável é o peso dele, que é menor, o espaço de cabine, que é maior, ou seja, isso permite que os passageiros desembarquem da aeronave mais rápido. Em relação ao peso menor e às novas turbinas, isso significa economia de combustível – e essa é a maior preocupação das companhias aéreas brasileiras com que nós tivemos conversado. É justamente a questão de como reduzir o consumo, além, claro, das inovações de aviônica e outras áreas onde se pode com isso ter mais vantagens para conforto dos passageiros. Então, em resumo, as novas tecnologias trazidas pelo MS-21 parecem refletir mais economia para as companhias aéreas e mais lucro, naturalmente; e, para os passageiros, mais conforto e mais, também, tecnologia disponível. O produto, como todo, é muito interessante do ponto de vista mercadológico.

    S: Há alguma proposta concreta?

    AN: Nós acreditamos que, até o momento, na resposta das consultas que foram feitas até Irkutsk junto com as companhias aéreas brasileiras, foi demonstrado um interesse. É a proposta. Então, as companhias aéreas brasileiras hoje têm uma pressão por causa do dólar, do real desvalorizado, do custo… E o MC-21 vem exatamente prover uma nova proposta, uma nova solução, e vai ajudar as companhias aéreas a operar com custos menores. Então, a gente vê muito bem as companhias com que tivemos a oportunidade de conversar.

    S: E quanto ao estado da construção do centro de produção de peças para MC-21?

    AN: Sim, nós damos continuação a este trabalho, há muitos projetos que estão em negociação. Mas, como se trata de um complexo de classificação, ainda não estão definidas quais peças e quais componentes serão feitos lá. Mas o trabalho está avançando. Mas é um trabalho que demora bastante tempo. Então é natural que isso tome certo tempo. Nós estamos bastante satisfeitos com os avanços. E hoje estaremos novamente reunidos com a Irkut aqui em Moscou para avançar detalhes do projeto.

    S: Há alguma previsão sobre o início do funcionamento do centro de produção?

    AN: A previsão é que esta parte de treinamento seja disponibilizada possivelmente no começo do ano que vem. E nós temos a questão de peças, que é a mais fácil. Porque nós temos empresas que fornecem esses produtos no Paraná e a parte de serviço envolve capacitação, treinamento, se pode ser avançado. Mas a previsão que estamos trabalhando é o final deste ano – começo do ano que vem.

    S: Assinaram algum outro projeto conjunto?

    AN: Neste momento nós estamos discutindo além da questão aeroespacial a elaboração de desenvolvimento de tecnologias médicas… E também estamos em conversa sobre possíveis projetos de infraestrutura de uma área de cibernética. O Paraná é o único estado hoje do Brasil com superávit financeiro. Você sabe que o Brasil está passando hoje por umas dificuldades econômicas. E o único estado onde se encontram condições pausáveis é o Paraná. Nós estaremos manejando um network (ou cross-working) na área de infraestrutura. São 8 bilhões de reais nos próximos 4 anos. Então, isto esta atraindo o interesse das empresas russas ligadas à parte da infraestrutura: estações de trem, transporte rodoviário e estradas também.

    Mais:

    Novo avião de passageiros russo MC-21 se prepara para o primeiro voo
    Rússia considera produzir componentes para avião MC-21 na Índia
    Tags:
    avião, MS-21, Irkut Corporation, Agência Paraná de Desenvolvimento, Airbus, Boeing, Cida Borghetti, Adalberto Netto, Maringá, Paraná, América Latina, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik