05:58 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    um robô chinês

    Será Alemanha a decidir se China vai produzir robôs?

    © AFP 2019 / PETER PARKS
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    131
    Nos siga no

    Na Alemanha ganha a força a polémica sobre a compra do controlo maioritário das ações do produtor alemão de robôs Kuka, que é um dos maiores produtores de robôs industriais no mundo, pela empresa chinesa Midea.

    Entretanto, há informações sobre apelos para a abolição do acordo por parte de seus adversários, que acreditam que isso pode prejudicar a segurança econômica da Alemanha porque os investidores da China poderão intervir na estratégia de produção e colocar a produção de robôs sob seu controle.

    Contudo, o ministro da economia e energia da Alemanha, Sigmar Gabriel, disse no dia 8 de junho que a Alemanha não vai aceitar as propostas para abolição de acordo.

    A introdução de uma lei que bloqueie a realização do acordo seria um passo forte contra os chineses. A Alemanha e a China são parceiros estratégicos. Neste sentido o dano causado pela introdução dessa lei é evidente.

    Os analistas não excluem que a questão política do acordo de aquisição será decidida durante a visita da chanceler da Alemanha Angela Merkel à China no período de 12 a 14 de junho. A oferta é estimada em cinco bilhões de dólares pelo jornal The Wall Street Journal. Além disso, a Midea está pronta para pagar 115 dólares por ação da Kuka, o que supera significativamente as cotações atuais na bolsa.

    A parte alemã também anunciou que durante a visita serão resolvidas as questões do estabelecimento de regras iguais para operações das empresas alemãs no mercado chinês e as questões da influência da China na indústria alemã e europeia, nomeadamente por causa dos preços baixos do aço chinês.

    Mais:

    Conheça o 'mulo mecânico': primeiras fotos do robô de combate russo
    Celular dançante: Japão apresenta primeiro híbrido de celular e robô
    Tags:
    chanceler, acordo comercial, parceria, empresas, aquisição, produção, robô, Sigmar Gabriel, Alemanha, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar