09:31 22 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Autoridades da Jordânia destacaram confiabilidade e eficiência dos produtos da Rosatom (Росатом, em russo)

    Rússia expressa vontade de construir primeira usina nuclear na Bolívia

    © Sputnik/ Pavel Lisitsyn
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    493

    A empresa estatal nuclear russa Rosatom está pronta para construir a primeira usina nuclear na Bolívia, e esta possibilidade está atualmente sendo negociada, afirmou esta terça (31) o vice-diretor da entidade, Kirill Komarov.

    O vice-diretor da estatal Rosatom, Kirill Komarov
    © Sputnik/ Valery Melnikov
    O vice-diretor da estatal Rosatom, Kirill Komarov

    "Esta possibilidade está sendo discutida agora", disse Komarov em uma entrevista durante o fórum Atomexpo 2016, observando que, após a construção do Centro de Investigação Nuclear em Bolívia, a Rosatom está pronta a construir a primeira usina de energia nuclear no país.

    Em 6 de março, Bolívia e Rússia assinaram um acordo para promover o desenvolvimento da energia atómica para fins pacíficos na base do centro de pesquisa nuclear que será construído na cidade ocidental de El Alto, a 15 km de La Paz.

    A usina, com um custo de cerca de 300 milhões de euros (1,2 bilhão de reais), terá um cíclotron (acelerador de partículas circular), uma unidade de radio farmácia, um irradiador multiuso e um reator de pesquisa nuclear, que serão construídos pela empresa russa Rosatom.

    O Atomexpo é um fórum internacional anual e uma das maiores plataformas russas para reuniões e negociações entre os líderes da indústria de energia nuclear mundial.

    O evento Atomexpo é organizado pela estatal Rosatom e neste ano vai passar de 30 de maio a 1 de junho.

    Mais:

    Lavrov: retirada de sanções vai permitir que Irã pague a dívida com Rosatom
    Rússia e China planejam desenvolver mercado global de energia nuclear
    Tags:
    desenvolvimento, projeto, construção, energia atômica, usina nuclear, Rosatom, La Paz, Bolívia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik