10:36 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Um homem vestindo hábito maia passa na frente da pirâmide Kukulcan, no parque arqueológico Chichen Itzá, em 20 de dezembro de 2012

    Adolescente descobre 'Boca de Fogo' graças às estrelas de civilização pré-colombiana

    © AFP 2019 / PEDRO PARDO
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    7283
    Nos siga no

    William Gadoury mora no Quebec, província francófona do Canadá, desde há 15 anos. Na verdade, ele só tem 15 anos. E nesta idade, ele já fez uma descoberta - que ainda será provavelmente sujeita a comprovação pelos cientistas com mais experiência.

    Gadoury declara ter descoberto uma cidade maia, no atual território do México, graças às estrelas.

    "Eu não compreendia por que os maias construíam as suas cidades longe de rios, em terras pouco férteis e nos montes. Eles deviam ter uma razão para isso, e como eles adoravam as estrelas, eu tive a ideia de verificar a minha hipótese", disse William Gadoury, citado pelo jornal Libération.

    Há três anos que o jovem estuda os laços entre as constelações e a civilização pré-colombiana. A descoberta dele foi feita com a ajuda do Google Earth. O que ele fez foi ligar as estrelas de 22 constelações e colocar os desenhos geométricos resultantes sobre o mapa. Desta maneira, ele conseguiu constatar que as estrelas mais brilhantes correspondem à localização geográfica das 117 cidades maias na península de Yucatán (atual México).

    Se trata, claro, das constelações conhecidas pelos maias.

    A Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA) dos EUA, a Agência Espacial Canadense e a Agência Espacial Japonesa revelaram que existe realmente uma pirâmide e cerca de 30 construções no local identificado pelo jovem descobridor.

    Ele mesmo batizou a cidade de K´ÀAK´CHI, o que pode ser traduzido como "Boca de Fogo".

    William ainda não esteve no local descoberto por ele, por causa dos custos "terríveis" da viagem. Mas um grupo de arqueólogos que irão pesquisar a sua descoberta já prometeu a William que iriam trazê-lo à cidade antiga e antes desconhecida.

    Tags:
    Agência Aeroespacial do Japão, NASA, México, Canadá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar