04:52 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 24
    Nos siga no

    As estranhas marcas pretas na superfície das colinas de Marte foram deixadas não apenas por fluxos de água salgada, como declarou recentemente a NASA.

    De acordo com um artigo publicado na revista Nature Geophysics, estas marcas foram deixadas por água fervente, evaporada nas temperaturas baixas devido à baixa pressão atmosférica no planeta, o que explica sua aparência estranha.

    No ano de 2011, Alfred McEwen da Universidade do Arizona em Tucson (nos EUA) e seus colegas estudaram imagens captadas pela câmera HiRISE a bordo da Mars Reconnaissance Orbiter (sonda norte-americana destinada a procurar evidências de existência de água no passado remoto de Marte).

    Algumas imagens de declives abruptos e de bordos de crateras mostram faixas escuras com uma largura 0,5-5 metros que aparecem e crescem no verão e desaparecem no inverno marciano.

    Como esperavam anteriormente os planetólogos, estas faixas podem ser fluxos de água muito salgada. Tal água permanece líquida no verão (atinge 250-300 graus Kelvin, ou cerca de 23-26 graus Celcius abaixo de zero). Em setembro do ano passado, depois de reexaminar as imagens da MRO, os planetólogos confirmaram que estas marcas foram na verdade deixadas pela água.

    Alfred McEwen e seus colegas decidiram testar sua nova teoria, numa instalação especial de laboratório, reproduzindo as condições "marcianas" — temperaturas baixas, pressão e típica geologia marciana. Usando este "mini-Marte" na Terra, o grupo de McEwan verificou o que acontece com um pedaço de gelo se for colocado na superfície do declive de uma colina.

    Esta experiência não conduz ao efeito que habitualmente é esperado em condições terrenas. Verificou-se que a água que surge em consequência do derretimento do gelo não irá simplesmente correr para baixo do declive, mas sim ferver ativamente e se evaporar no momento em que ela sobe a superfície do solo.

    Este processo de evaporação era tão ativo que espalhou grãos de areia em torno, causando desabamentos da terra e outros processos que tornaram as marcas de água no laboratório quase iguais às de Marte. Os cientistas acreditam que algumas outras formas de relevo em Marte, que testemunham a presença de água na sua superfície, podem se ter formado de maneira análoga.

    Mais:

    NASA destaca necessidade de um regulamento internacional para explorar o espaço
    Viver entre a Terra e o espaço: o gato de Vostochny
    Sexo no espaço: cientistas dão salto gigantesco e mostram que é possível
    Tags:
    água, pesquisa, NASA, Marte, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar