00:57 26 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Conflito em Nagorno-Karabakh (26)
    206
    Nos siga no

    Depois do agravamento da situação na zona de conflito em Nagorno-Karabakh os hackers turcos realizaram uma série de ataques cibernéticos contra sites do governo da Armênia, paralisando temporariamente o trabalho deles, disse o jornal turco Sabah nesta quarta-feira (6).

    No dia 2 de abril, a Armênia e o Azerbaijão confirmaram o agravamento da situação na zona de Nagorno-Karabakh, região reclamada pelo Azerbaijão.

    O Ministério da Defesa deste país informou sobre os disparos das Forças Armadas da Armênia na zona do conflito. Ao mesmo tempo o Ministério da Defesa Armênia afirmou sobre as "ações ofensivas" do Azerbaijão.

    De acordo com o relatório do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês), desde o início de agravamento do conflito em Nagorno-Karabakh 33 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas. Nesta terça-feira (5), os dois lados confirmaram a suspensão das operações militares na zona de conflito.

    ​​Os alvos principais dos ataques cibernéticos eram os sites dos ministérios da Defesa, Energia e Agricultura da Armênia, informou o jornal. Na sua página no Facebook o grupo de hackers turcos, conhecido como Aslan Neferler Tim, publicou um comunicado dizendo que a intensidade dos ataques nos sites governamentais da Armênia vai aumentar.

    Anteriormente, o mesmo grupo (também conhecido por seus ataques contra o movimento hacktivista Anonymous) assumiu a responsabilidade por ataques contra sites do governo da Bélgica, o político holandês de extrema direita Geert Wilders e o Banco Central da Armênia.

    Tema:
    Conflito em Nagorno-Karabakh (26)

    Mais:

    Hacker que roubou informações sobre caça F-35 é festejado na China
    EUA querem extraditar da Malásia hacker que forneceu dados de militares ao Estado Islâmico
    Kremlin repele ataque hacker ao site da presidência
    Tags:
    Aslan Neferler Tim, Anonymous, ONU, Nagorno-Karabakh, Azerbaijão, Armênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar