20:26 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Satélite argentino Arsat-2

    Argentina suspende construção de novo satélite

    © Foto/ Arsat
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    428
    Nos siga no

    O governo da Argentina suspendeu a construção de um terceiro satélite nacional até que sejam vendidos os serviços do último produto lançado ao espaço, o Arsat-II, conforme anunciou nesta segunda-feira o presidente da estatal Arsat, Rodrigo de Loredo, nomeado em dezembro.

    "A Arsat necessita de autofinanciamento, porque nos encontramos com uma empresa que tem coisas boas mas com uma má gestão dos fundos", disse ele em entrevista ao jornal local El Cronista.

    Em meio a protestos por parte daqueles que veem a medida como um duro golpe no desenvolvimento da soberania do país, o novo mandachuva da companhia, genro do ministro das Comunicações, Oscar Aguad, também informou que está tentando vender as capacidades do Arsat-II para os Estados Unidos.

    "Chegamos e descobrimos que haviam lançado o Arsat-II sem terem vendido absolutamente nada", afirmou Loredo. "Agora estamos apresentando as permissões para vender os serviços do satélite", explicou, justificando a necessidade de se incorporar "sócios colaboradores". Além dos EUA, representantes da estatal estão buscando acordos comerciais com México, Canadá e Brasil. 

    No final do ano passado, a Arsat firmou um contrato com a empresa francesa Arianespace para o lançamento do terceiro satélite geoestacionário de telecomunicações da companhia argentina, previsto para 2019. Os dois primeiros foram colocados em órbita em outubro de 2014 e setembro de 2015 respectivamente. 

    Mais:

    Força Aérea americana desiste de tentar recuperar satélite perdido
    Rússia criará novo satélite visível em qualquer ponto do mundo
    Satélite norte-coreano ‘dá cambalhotas’ na órbita
    Brasil e China retomam projeto de satélite a ser lançado em 2018
    Tags:
    espaço, Telecomunicações, satélite, Arianespace, Arsat, Oscar Aguad, Rodrigo de Loredo, França, Canadá, México, Brasil, EUA, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar