06:48 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    590
    Nos siga no

    Os astrônomos estão observando como uma estrela distante continua destruindo alguns exoplanetas que estão ao seu redor. Muitos receiam que o Sol um dia possa tornar-se parecido com uma anã branca chamada WD 1145+017 e destruir o Sistema Solar.

    “Isso é algo que ninguém viu antes”, disse Andrew Vanderburg, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica em Cambridge, Massachusetts, EUA. Ele foi citado pelo jornal britânico Nature na quinta-feira (17).

    Doutor Vanderburg e a sua equipa usaram um veículo espacial Kepler para fazer a descoberta.

    Em outubro de 2015, os astrônomos anunciaram ter descoberto um objeto de pedra que se quebrou na espiral ao redor desta estrela distante. Foi o primeiro objeto de tamanho de exoplaneta que orbitou ao redor da anã branca.

    Notaram que a luminosidade do WD 1145+017 que fica a 570 anos-luz reduz-se na constelação Virgo de quatro em quatro horas e disseram que, se calhar, um objeto orbitava a estrela a distância de 840 mil km que é duas vezes mais que é a distância entre a Terra e a Lua.

    A descoberta esclarece o que pode acontecer ao nosso Sistema Solar quando o Sol deixa de arder.

    “Um dia, o nosso Sol crescerá de uma forma rápida e se tornará uma estrela gigante vermelha, destruindo Mercúrio, Vênus e se calhar a Terra antes de se transformar numa anã branca”, disse o astrônomo Boris Gansicke da Universidade de Warwick ao portal Space.com.

    Anãs brancas são a fase final da evolução de estrelas.

    Tags:
    planeta, estrelas, astronomia, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar