23:23 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    24612
    Nos siga no

    A empresa russa Parallels lançou um novo projeto, denominado Rosplatforma, que visa criar uma plataforma em nuvem e substituir o Microsoft Azure, VMware vCloud e Amazon Cloud.

    Segundo o jornal russo Kommersant, para colocá-lo em prática são necessários investimentos de mais de um bilhão de rublos. O planejamento é finalizar o projeto até o fim de 2016. 

    O projeto Rosplatforma terá por base os produtos Parallels Cloud Server, Parallels Automation e a virtualização de desktops.

    De acordo com os criadores, a nova iniciativa será “a base da soberania eletrônica da Rússia, será também um produto de exportação do país, que aspira à independência tecnológica dos EUA”.

    Segundo os dados estimativos, a quota-parte do software importado ultrapassa os 75%, o que equivale a 90 bilhões de rublos (1,5 bilhões de dólares), e é “um risco inadmissível”.

    A iniciativa da empresa Parallels corresponde à lei que entrará em vigor em 2016, segundo a qual os órgãos governamentais serão obrigados a prestar contas sobre as compras de software importado.

    Dmitry Marinichev, defensor público dos interesses dos usuários da Internet, disse que a empresa Parallels tem grande potencial, possui muitas tecnologias próprias, o que torna a plataforma vantajosa em comparação com os análogos estrangeiros:

    “Aqui haverá duas vantagens concorrenciais. Primeiramente, são os custos operacionais inferiores (na Rússia, por exemplo, a eletricidade é mais barata, consequentemente, o serviço será mais barato). Além disso, os desenvolvedores locais elaboram esta plataforma na Rússia, isto é, estão na zona do rublo, o que define o preço de custo”.

    O defensor público dos usuários da Internet tem igualmente por missão defender os interesses dos empresários da indústria de tecnologias de informação, apoio às iniciativas na área da Internet e realização de projetos de alta tecnologia de grande importância para a sociedade.

    Na Rússia já há uma plataforma em nuvem O7, desenvolvida pela empresa Rostelecom e lançada em 2012.

    Mais:

    EUA querem extraditar da Malásia hacker que forneceu dados de militares ao Estado Islâmico
    Kremlin nega envolvimento em ataques cibernéticos no exterior
    Rússia cria aparelho contra espionagem funcionando sem Glonass ou GPS
    Tags:
    software, computador, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar