01:31 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    O juiz Bruno Vinícius da Rós Bodarta, da 1ª Vara de Fazenda Pública da Capital, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), atendeu pedido de um motorista e concedeu uma antecipação de tutela.

    A decisão estabelece que o secretário municipal de Transportes do Rio de Janeiro, Rafael Picciani, e o presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro), Carlos Luiz Martins Pereira e Souza, não podem restringir ou impedir que o motorista faça o transporte remunerado individual de passageiros com o uso do aplicativo Uber.

    O nome do autor da ação não foi divulgado, porque o processo corre em segredo de justiça. Com a decisão, que só vale para ele, o secretário e o presidente do Detro não podem aplicar multas, apreender o veículo ou reter a carteira do motorista. Se não obedecerem, terão de pagar multa de R$ 50 mil.

    Ontem (30), o prefeito do Rio sancionou, com vetos, o projeto de lei da Câmara de Vereadores que determina multas a motoristas que fizerem transporte de passageiros com a utilização do Uber. 

    A prefeitura anunciou que vai criar um aplicativo para o celular, obrigatório para os taxistas, que poderá registrar reclamações dos usuários do serviço.

    Mais:

    Taxistas de São Paulo: Não à proposta do prefeito de regulamentar o serviço do Uber
    Câmara debate a legalidade do aplicativo Uber no Brasil
    Vereadores do Rio aprovam projeto de lei que proíbe serviços como Uber
    Tags:
    Uber, Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Tribunal de Justiça, Detro, Carlos Luiz Martins Pereira e Souza, Rafael Picciani, Bruno Vinícius da Rós Bodarta, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar