12:25 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Brasil bateu a meta do Protocolo de Montreal, assinado por 197 nações para a proteção da camada de ozônio

    Brasil bate meta de redução de emissão de gases nocivos

    Luciana Macêdo
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    371

    Em meio aos eventos da Semana Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio, o Brasil divulgou ter batido a meta e reduzido em 16,6% o consumo de hidroclorofluorcarbonos, gases nocivos à atmosfera. O resultado é medido em comparação com a média de 2009 e 2010.

    Com este dado, o Brasil bateu a meta do Protocolo de Montreal, assinado por 197 nações para a proteção da camada de ozônio. Até 2015, a meta para os países em desenvolvimento era reduzir o consumo dos HCFC em 10%.

    O secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Klink, acredita que o Brasil pode inspirar outros países a também reduzir a emissão de gases nocivos:

    “O Brasil está sendo utilizado como exemplo para outros países em desenvolvimento. Olha, o programa brasileiro tem sido um grande sucesso. Outros países podem seguir os nossos caminhos”.

    O Programa Brasileiro de Eliminação dos Hidroclorofluorcarbonos prevê até 2020 investimentos de R$ 160 milhões em busca de alternativas sustentáveis.

    Nos últimos três anos, o país deixou de emitir 220 toneladas desses gases nocivos, quase 169 toneladas no setor de espumas e 51,5 toneladas no setor de refrigeração.

    A meta do Ministério do Meio Ambiente é finalizar até 2020 a conversão tecnológica do setor de espumas e iniciar a conversão de parte do setor de refrigeração comercial e de aparelhos de ar condicionado.

    Carlos Klink explica que os setores que usam os gases danosos vão receber apoio tecnológico e financeiro para se integrar nas questões ambientais  em prol do país e do mundo.

    “Não é impor um custo novo ao setor privado. Através da parceria, o setor privado se dá conta de que é importante, sim. Como nós trouxemos essas novas possibilidades de inovação tecnológicas, houve um interesse total do setor privado de se engajar e ajudar na questão ambiental do planeta”.

    Ainda este ano, o Brasil vai assumir novas metas de redução de gases poluentes. A Presidenta Dilma Rousseff anunciou no último domingo (27) na Cúpula da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, em Nova York, que o país pretende reduzir em 43% a emissão de gases do efeito estufa na atmosfera até 2030. A proposta vai ser levada para a COP 21, a Cúpula do Clima, que acontecerá em dezembro, em Paris.

    Tags:
    camada de ozônio, meio ambiente, hidroclorofluorcarbonos, COP 21, Carlos Klink, Paris, Nova York, Montréal, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik