23:17 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de um foguete Soyuz FG com nave espacial tripulada Soyuz TMA-11M

    Nova nave Soyuz 5 deverá estar pronta em 2022

    © Sputnik / Anton Denisov
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Salão Aeroespacial Internacional MAKS 2015 (21)
    9381
    Nos siga no

    Na véspera do Salão MAKS 2015, o diretor geral da Progress, Aleksandr Kirilin, concedeu entrevista à Sputnik e revelou as principais características da nova Soyuz 5.

    O Salão Internacional de Aviação e Espaço MAKS será realizado na cidade de Zhukovsky, nos arredores de Moscou, entre 25 e 30 de agosto. O evento demonstrará as altas tecnologias russas e a abertura do mercado da Rússia para projetos em conjunto com parceiros estrangeiros. A maior companhia russa de naves espaciais e um dos líderes mundias na área, Progress State Research and Production Rocket Space Center (Progress), mais conhecida pelas naves Soyuz, apresentará, durante o MAKS 2015, maquetes de lançadores espaciais de nova geração.

    A Sputnik conversou com o diretor geral da Progress, Aleksandr Kirilin.

    Sputnik: Em julho, durante encontro com vice-ministro da Defesa da Rússia, Yuri Borisov, o senhor apresentou a proposta de desenvolvimento da nova nave Soyuz 5.1. Quais serão as características da nave, e quais serão as diferenças da Soyuz 2?

    Aleksandr Kirilin: A nave Soyuz 5.1 é uma nave com cerca de 270 toneladas. No futuro, ela poderá substituir a nave Soyuz 2. A nave transportadora possuirá dois estágios. A sua particularidade é o uso de gás natural liquefeito (GNL) como combustível. Atualmente, o seu projeto preliminar está em fase de conclusão. Em breve passaremos a apresentar o projeto para os nossos principais clientes, Roscosmos (agência espacial russa) e o ministério da Defesa. 

    S: Para quais órbitas Soyuz 5 poderá enviar as cargas? 

    A.K.: Planejamos que a Soyuz 5.1 substitua a Soyuz 2.1a e Soyuz 2.1b. Por isso, as mesmas cargas transportadas pela Soyuz 2 poderão ser transportadas para as órbitas pelo novo lançador. 

    S: Qual motor é planejado para essa nova nave? Será um motor existente, ou será um projeto novo?

    A.K.: Um motor de GNL precisará ser desenvolvido do zero. Temos condições de apresentar, durante seu projeto, certas características técnicas e econômicas, que permitirão à Soyuz 5 concorrer com os melhores modelos da área no mundo todo. O trabalho com os motores está na fase de projeto preliminar.

    S: É verdade que a nave utilizará combustível limpo, do ponto de vista ecológico?

    A.K.: Os motores da Soyuz 5 funcionarão com GNL e oxigênio líquido. GNL é o combustível mais limpo que pode ser encontrado no planeta, com exceção de hidrogênio. Ele produz quantidades mínimas de óxidos nítricos, bem como de diversos compostos de carbono. 

    S: Qual será o valor aproximado da nova nave? 

    A.K.: Ainda é cedo para falar de valores, pois o projeto ainda está em fase preliminar. No entanto, entendemos que o valor da nave transportadora Soyuz 5.1 será menor do que o valor da Soyuz 2.

    S: Qual seria o prazo para a construção do primeiro modelo? 

    A.K.: De modo aproximado, o primeiro modelo funcional da nave poderá estar pronto em 2021 ou 2022.

    S: Quantas naves Soyuz 5 Progress poderá produzir anualmente?

    A.K.: Hoje em dia, a nossa empresa produz cerca de 20 naves transportadoras (Soyuz Y, Soyuz FG, Soyuz 2, Souyuz CT) anualmente. Caso Soyuz 5.1 substitua todas essas naves, teremos condições de produzir, mais ou menos o mesmo número de naves. É uma cifra bastante aproximada, pois na realidade tudo dependerá de encomendas concretas.  

    S: Já existe uma previsão de quantas naves a Progress deverá lançar em 2016? O número de lançamentos aumentará ou diminuirá, comparando com 2015?

    A.K.: Durante últimos anos, Progress, de modo estável, tem garantido cerca de 20 lançamentos anuais. Ou seja, esperamos um número semelhante para 2016.

    Tema:
    Salão Aeroespacial Internacional MAKS 2015 (21)
    Tags:
    lançamento, entrevista, espaço, Progress, Soyuz, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar