03:51 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    6511
    Nos siga no

    A Agência Espacial Federal da Rússia fechou o maior contrato de lançamento espacial da história juntamente com empresas da França e da Grã-Bretanha para fornecer serviço de internet em banda larga ao mundo inteiro.

    Lançamento do foguete portador Soyuz-2.1b
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    A Agência Espacial Federal Roscosmos, da Rússia, selou uma parceria com a francesa Arianespace e a britânica OneWeb para lançar 672 satélites de 2017 a 2019.

    Segundo a Arianespace, os satélites OneWeb fornecerão serviço de internet de qualidade de fibra ótica para o mundo inteiro, especialmente em particular para residentes de zonas rurais sem internet de banda larga. Os satélites serão lançados usando 21 foguetes Soyuz.

    "Este contrato é o maior da história do fornecimento de lançamentos. A escolha dos foguetes Soyuz é prova da grande competitividade da tecnologia aeroespacial da Rússia", disse o chefe da Roscosmos, Igor Kamarov.

    Os microsatélites OneWeb pesarão cerca de 150 quilos e serão colocados em órbita a 1.200 quilômetros acima da superfície da Terra, segundo a Roscosmos. O memorando de acordo que viabilizou o negócio foi assinado no dia 15 de junho, no Paria Air Show. Os satélites serão fabricados pela Airbus Defence and Space, na França, e por uma parceria entre a OneWeb e a Airbus nos EUA.

    Os lançamentos estão previstos para serem realizados na estação de lançamento de Baikonur, no Cazaquistão, no novo Cosmódromo Vostochny, na Rússia, e no Centro Espacial da Guiana Francesa.

    Mais:

    Rifles Kalashnikov: agora com acesso à Internet
    Especialista diz que é válido o sistema de consulta via internet contra corrupção
    Proteção da lei não acompanha velocidade da Internet
    Exército brasileiro leva internet rápida para o interior da Amazônia
    Tags:
    lançamento, Internet, satélite, Arianespace, OneWeb, Airbus, Roscosmos, Agência Espacial Russa, Grã-Bretanha, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar