03:09 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Galáxia A1689-zD1

    Galáxia mais distante apresenta sinais de envelhecimento rápido

    © NASA. STScl
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 71

    A galáxia A1689-zD1 tem tanta poeira como a Via Láctea.

    Uma equipe de astrônomos do projeto ESO (Observatório Europeu do Sul, pela sigla em inglês) chegou à conclusão de que a galáxia A1689-zD1, uma das mais distantes que conhecemos, apresenta sinais de maturidade que a fazem parecer mais velha do que é — até mais velha do que o Universo.

    Segundo o artigo publicado na revista Nature, "a galáxia é altamente evoluída: tem uma massa estelar grande e apresenta muita poeira, com a relação entre poeira e gás próxima à da Via Láctea. Galáxias evoluídas, com alto teor de poeira estão portanto presentes entre a população de formação estelar menos brilhante de z>7, apesar do período muito curto de tempo desde o seu surgimento".

    A A1689-zD1 foi descoberta em 2008 e era naquela altura a galáxia mais distante estudada por cientistas. Tinha sido formada aproximadamente quando o Universo tinha 700 milhões de anos (agora está com 13,8 bilhões). Aquele período é chamado de "época de reionização".

    De acordo com o Mensageiro Sideral, da Folha de São Paulo, o significado deste achado é a constatação de uma velocidade maior do desenvolvimento do Universo do que foi considerado antes.

    Atualmente, a galáxia mais distante da Terra que o mundo científico conhece é UDFj-39546284, descoberta em 2011. É cerca de 380 milhões de anos mais nova do que o Universo.

    Mais:

    Novo cargueiro espacial foi lançado de Baikonur
    Tripulação da Estação Espacial Internacional retorna ao trabalho
    Tags:
    espaço, ESO
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik