15:37 30 Março 2017
Ouvir Rádio
    Ebola

    EUA criam novo método de detectar ebola

    © AFP 2017/ ZOOM DOSSO
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 19304

    A equipe internacional de virologistas descobriu um método para verificar de forma mais rápida se uma pessoa está infectada com o vírus ebola, dengue e outras doenças tropicais perigosas, método que pode ser utilizado fora do laboratório, divulga o jornal Labon a Chip.

    O cientista Kimberly Hamad-Schifferli e a sua equipe avançaram muito na área de contenção da propagação do ebola e na identificação rápida de pessoas infectadas – eles criaram o sistema de diagnóstico que funciona aproximadamente segundo o mesmo princípio que o de um teste de gravidez. O teste não exige aparelhos de laboratório e reagentes caros, que são inacessíveis nas aldeias remotas.

    “Se você passar por nosso sistema uma amostra sanguínea do paciente, ele muda de cor. Se você vê a cor laranja, então você vai perceber que está infectado com a febre amarela. Se ficar vermelho, o paciente é portador  de ebola, e se é verde – sofre de dengue”, explica Hamad-Schifferli do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA).

    O método de diagnóstico rápido foi criado com base em duas coisas – as nanopartículas multi-coloridas especiais e tecnologia de análise de fluxo, que normalmente é usada para criar um teste de gravidez. As nanopartículas, como os cientistas explicam, são microscópicas “pirâmides” de prata que apenas se ligam com um tipo específico de vírus.

    Este tipo de teste não requer qualquer preparação especial, para o paciente ser testado só precisa de seu soro sanguíneo, e em dez minutos a cor mostrará se ele está infectado com uma doença ou outra. Os criadores do teste observam mesmo enfermeiros ou funcionários médicos pouco qualificados serão capazes de efetuar o teste.

    Mas a vantagem principal do teste é que ele permite aos médicos determinar rapidamente quem está infectado com ebola ou outras doenças perigosas e isolar a pessoa dos outros pacientes, o que deverá reduzir a frequência de transmissão do vírus e acelerar o declínio na epidemia na África Ocidental.

    Tags:
    teste, ebola, medicina, saúde, África, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik