02:28 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Instituto de Busca de Inteligência Extraterrestre (SETI, na sigla em inglês)

    Cientistas querem enviar mensagens a mundos alienígenas

    © AP Photo/ AP Photo/SETI/Internet
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 54

    Os principais astrônomos dos EUA estão considerando planos de proceder a envio de mensagens sobre a Terra para centenas de sistemas de estrelas que possam ter planetas potencialmente habitáveis, segundo dá a conhecer o Instituto de Busca de Inteligência Extraterrestre (SETI, na sigla em inglês), com sede na Califórnia.

    "Pode haver muitas civilizações lá fora, mas se elas todas apenas escutam e nenhuma emite sinais de rádio, então nada vai acontecer", disse ao Sunday Times o astrofísico e chefe executivo do SETI, David Black.

    A ideia consiste em transmitir regularmente mensagens através de radiotelescópios. As mensagens deveriam conter informações suficientemente detalhadas sobre o gênero humano. Uma das opções prevê enviar todo o banco de dados da Wikipédia.

    A elaboração de tal mensagem é uma tarefa bastante árdua e os cientistas ainda não decidiram como realizá-la. "Uma questão é… se decidirmos prosseguir, que tipo de mensagem deveríamos enviar? Deveria ser uma obra de alguns cientistas ou deveria envolver o mundo inteiro, quiçá, através da Internet?", raciocina Black.

    Se o projeto for aprovado, as mensagens terão um alcance de até 20 anos-luz da Terra. A nova iniciativa está agendada para ser debatida na assembleia anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (American Association of Advancing Science), convocada para a próxima semana.

    Apesar de o projeto gozar de um amplo apoio, alguns cientistas proeminentes, incluindo Stephen Hawking, criticaram a ideia de convidar representantes da vida alienígena à Terra.

    "Se os extraterrestres nos visitarem, a repercussão poderia ser muito mais grave do que o desembarque de Colombo produziu na América, sem trazer muitos benefícios para os nativos americanos", afirmou ele em um documentário de 2010.

    Em 2011, a Divisão de Ciência Planetária da NASA divulgou um relatório intitulado "Será benéfico ou nocivo para a Humanidade o contato com extraterrestres? Uma análise de cenário", cujos autores apresentaram possíveis desenlaces se a Terra for realmente descoberta por alienígenas. Foram analisados os três possíveis cenários: o benéfico, o neutro e o ruim.

    De acordo com o cenário pessimista, se os extraterrestres vierem alguma vez ao nosso planeta, os seres humanos estarão em perigo de ser simplesmente destruídos, além de enfrentar os riscos de contrair doenças desconhecidas, ser escravizados ou comidos.

    Os autores do relatório pediram para ter cautela ao enviar para o espaço sinais sobre a Terra, especialmente aqueles que tenham a ver com danos ambientais existentes no planeta e com a organização biológica do ser humano.

    Já há mais de trinta anos que o SETI vem tentando detectar rastros da existência de vidas extraterrestres, monitorando "sinais eletromagnéticos que possam ser indicativos de uma vida inteligente". As raízes do instituto remontam a 1959, quando Cocconi e Morrison publicaram na revista Nature o seu artigo intitulado "Procurando por comunicações interestelares".

    "Durante meio século, o SETI vem procurando por algo que nós mesmos não produzimos: transmissões deliberadas dirigidas a mundos distantes", disse Douglas Vakoch, diretor de Composição da Mensagem Interstelar do SETI.

    Ainda em 1974, o radiotelescópio de Arecibo, Puerto Rico, foi usado para enviar uma mensagem dirigida aos cantos mais longínquos do Universo. A mensagem continha apenas uma imagem simples e foi direcionada para o aglomerado globular estelar M13, sito a uns 21.000 anos-luz de distância.

    Tags:
    OVNI, espaço, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik