10:25 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Charges

    Quando os EUA não deixam nem comer

    Charges
    URL curta
    3194

    O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela declarou que as sanções dos EUA contra as empresas de alimentação é um atentado ao direito do povo venezuelano à alimentação.

    Quando os EUA não deixam nem comer

    O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, disse que, perante a comunidade mundial, a Venezuela condena a prática repetida de terrorismo econômico por parte do governo norte-americano.

    Vários cidadãos da Venezuela e Colômbia foram adicionados à lista de sanções dos EUA, assim como representantes de empresas de Hong Kong, Colômbia, Emirados Árabes Unidos e Panamá.

    Mais:

    EUA dão 'prazo curto' a Maduro para abandonar o poder na Venezuela
    Maduro diz ter provas de 'ataque eletromagnético' contra Venezuela
    De que maneira Rússia e China podem privar EUA de seu domínio militar?
    Tags:
    EUA, sanções, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar

    Mais charges

    • Está difícil ganhar essa Batalha Naval, né, EUA?
      Last update: 10:47 21.08.2019
      10:47 21.08.2019

      Está difícil ganhar essa Batalha Naval, né, EUA?

      Apesar da pressão dos EUA para prolongar a prisão, o petroleiro iraniano Grace 1 foi liberado por um tribunal de Gibraltar e se dirigiu à Grécia.

    • Que orelhão em...
      Last update: 11:00 15.08.2019
      11:00 15.08.2019

      Que orelhão, hein?

      Microsoft reconheceu que seus empregados podem ouvir os áudios dos usuários.

    • Privacidade sem limites
      Last update: 09:02 14.08.2019
      09:02 14.08.2019

      Privacidade sem limites

      Facebook transcrevia os áudios de seus usuários empregando trabalhadores externos, sem lhes explicar o objetivo da transcrição e origem das gravações.

    • Quando uma palavra amiga cai bem
      Last update: 09:53 13.08.2019
      09:53 13.08.2019

      Quando uma palavra amiga cai bem

      O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, está querendo uma declaração pública do presidente dos EUA, Donald Trump, na véspera das eleições no país, em apoio aos povoados judeus na Cisjordânia.