16:58 28 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Charges

    Feriado olímpico: bom pra quem?

    Charges
    URL curta
    0 29
    Nos siga no

    O anúncio de última hora de mais um feriado olímpico no Rio de Janeiro certamente trouxe transtornos para muita gente. Levantamentos indicam que os prejuízos causados pelo calendário dos Jogos a diversos setores da economia, como comércio, indústrias e serviços, poderão chegar a R$ 1 bilhão por dia.

    Feriados olímpicos causam prejuízos para setores da economia do Rio

    Economistas acreditam que as perdas desses setores deverão somar cerca de R$2,5 bilhões nos 3 dias de feriado anunciados previamente (dias 5, 18 e 22 de agosto), sem contar com o novo feriado desta quinta-feira (4), decretado de forma inesperada pelo Prefeito Eduardo Paes no início desta semana.

    Tags:
    charge, feriado, Jogos Olímpicos, Rio 2016, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar

    Mais charges

    • Pagando dívidas à argentina
      Last update: 10:34 13.02.2020
      10:34 13.02.2020

      Pagando dívidas à argentina

      Vice-presidente argentina Cristina Kirchner declarou que a Argentina não pagaria ao Fundo Monetário Internacional "nem meio centavo" da dívida nacional até sair da recessão.

    • Dando aulas de defesa antiaérea
      Last update: 10:34 07.02.2020
      10:34 07.02.2020

      Dando aulas de defesa antiaérea

      A Defesa russa acusou Israel de utilizar novamente aeronaves civis para se defender, após seus ataques, das ações de resposta dos sistemas de defesa antiaérea da Síria.

    • Guilhotina de impeachment não deu certo
      Last update: 10:47 06.02.2020
      10:47 06.02.2020

      Guilhotina de impeachment não deu certo

      Senado absolveu Donald Trump em julgamento de impeachment, o que faz com que ele permaneça no poder.

    • Quando a corrida não resulta em nada
      Last update: 12:38 31.01.2020
      12:38 31.01.2020

      Quando a corrida não resulta em nada

      Interpol se recusou a aceitar o pedido do governo boliviano de "alerta vermelho" contra o ex-presidente Evo Morales.