15:02 24 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Charges

    Cães de guerra – número de mercenários no mundo é alarmante

    Charges
    URL curta
    3512
    Nos siga no

    Recente relatório da organização ‘War on Want’ revelou que o número de mercenários contratados por empresas militares e de segurança privadas, que operam nas linhas de frente no Oriente Médio e na África, aumentou enormemente desde que a "guerra ao terror" foi declarada, há 15 anos.

    Cães de guerra – número de mercenários no mundo é alarmante

    O relatório 'Mercenários Desencadeados: o admirável mundo novo das empresas militares e de segurança", examina a ampla e bilionária indústria privada, apontada pela ‘War on Want’ como de ser dominada por empresas britânicas.

    Tags:
    alarme, mercenários, War on Want, Mundo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar

    Mais charges

    • Android não é mais bem-vindo aqui
      Last update: 10:47 10.09.2020
      10:47 10.09.2020

      Android não é mais bem-vindo aqui

      Gigante chinesa das telecomunicações Huawei anunciou utilização do próprio sistema operacional Harmony 2.0 em seus smartphones a partir de 2021 devido a limitações comerciais impostas pelos EUA.

    • Perdendo a corrida na Síria
      Last update: 11:46 27.08.2020
      11:46 27.08.2020

      Perdendo a corrida na Síria

      Durante tentativa de bloquear a passagem de um comboio de blindados russos na Síria, soldados americanos acabaram ficando feridos durante colisão entre um blindado da Rússia e outro americano.

    • Quando a intromissão dá errado
      Last update: 11:31 04.08.2020
      11:31 04.08.2020

      Quando a intromissão dá errado

      O presidente dos EUA, Donald Trump, em entrevista ao site Axios, chamou o envio de tropas para o Oriente Médio de maior erro da história dos Estados Unidos.

    • Tropas dos EUA não param quietas
      Last update: 11:49 30.07.2020
      11:49 30.07.2020

      Tropas dos EUA não param quietas

      O presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu a decisão de retirar seus soldados da Alemanha pelas importações alemãs de gás da Rússia.