23:41 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    11181
    Nos siga no

    Cerca de 35 atuais e ex-líderes mundiais, bem como mais de 330 políticos e funcionários públicos em todo o mundo são mencionados na investigação Pandora Papers.

    A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (5), a convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para que esclareçam informações sobre as empresas mantidas por eles no exterior, em paraísos fiscais.

    Os requerimentos aprovados nesta terça são de autoria dos deputados Paulo Ramos (PDT-RJ) e Kim Kataguiri (DEM-SP).

    "Considerando que o sr. Paulo Guedes é o ministro da Economia, o quadro se torna bastante grave, porque, sem a devida supervisão dos órgãos brasileiros, não podemos saber se ele se beneficiou financeiramente de algum dos atos praticados por ele ou por seus subordinados enquanto ministro de Estado", argumenta Kataguiri, citado pelo jornal Extra.

    No Senado, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) também aprovou convites para que o Guedes e Campos Neto prestem esclarecimentos sobre as empresas. A oitiva foi agendada para 19 de outubro. Por ser convite, os dois não são obrigados a comparecer à comissão do Senado.

    Na segunda-feira (4), a Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou que vai abrir uma investigação preliminar sobre a empresa no exterior mantida por Guedes.

    Caso Pandora Papers

    As informações sobre as empresas do ministro da Economia e do presidente do Banco Central foram reveladas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês), que, no domingo (3), divulgou 11,9 milhões de documentos de escritórios administradores de offshores em todo o mundo.

    Cerca de 35 atuais e ex-líderes mundiais, bem como mais de 330 políticos e funcionários públicos em todo o mundo são mencionados no relatório.

    Mais:

    Sem compromisso fiscal Brasil continuará afugentando investidores, apontam especialistas
    Filho de Biden diz que procurador em Delaware está investigando seus assuntos fiscais
    Flávio Bolsonaro entrará na Justiça contra Receita Federal após acesso indevido a seus dados fiscais
    Pandora Papers demonstram que EUA são a maior lacuna fiscal no mundo, diz Kremlin
    Tags:
    paraíso fiscal, comissão de ética, Paulo Guedes, Ministério da Economia do Brasil, Banco Central, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar