21:41 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    762
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou, nesta sexta-feira (1º), que concedeu 30 vistos humanitários a cidadãos afegãos que estejam tentando fugir do país, após o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) ter retomado o poder em agosto deste ano.

    Segundo o Itamaraty, o governo ainda se encontra analisando cerca de 400 pedidos de asilo, informa CNN Brasil.

    A medida vem facilitar o acolhimento de pessoas vindas do Afeganistão, como já vem acontecendo com cidadãos sírios, haitianos e venezuelanos. 

    No caso dos cidadãos afegãos, o protocolo foi adotado devido ao alerta da comunidade internacional para possíveis violações de direitos humanos.

    O ministério, por sua vez, já tinha anunciado, em setembro, que concederia vistos para afegãos, apátridas e pessoas afetadas pela situação de "grave ou iminente instabilidade institucional, ou de grave violação de direitos humanos, ou do Direito Internacional Humanitário no Afeganistão", citado pela mídia.

    Refugiados afegãos chegam ao Aeroporto Internacional de Dulles, Dulles, Virgínia, EUA, 2 de setembro de 2021
    © REUTERS / Evelyn Hockstein
    Refugiados afegãos chegam ao Aeroporto Internacional de Dulles, Dulles, Virgínia, EUA, 2 de setembro de 2021
    De acordo com Leonardo Gorgulho, secretário de Comunicação e Cultura do Itamaraty, o processo "não é simples", e é feito de maneira sigilosa, apontando que grande parte das pessoas que estão tentando obter vistos se encontram no Afeganistão. A parte difícil desse processo seria, de fato, a vinda das pessoas em causa para o Brasil.

    Por outro lado, Achilles Zaluar Neto, chefe de gabinete do Itamaraty, explicou que a operação de retirada dos refugiados afegãos pode ser dificultada pelo fato de que o Brasil não tem embaixada no Afeganistão.

    "Não temos condições de entrar pela força, ou negociar com o Talibã. Então, isso tem que ser feito através de um país que tenha representação em Cabul para negociar com o Talibã a saída de um voo [fretado, para o Brasil]", afirmou, citado pela CNN Brasil.
    Imigrantes afegãos se escondem das forças de segurança em um túnel sob trilhos depois de fugirem ilegalmente do Irã para a Turquia, perto da província turca de Bitlis, 23 de agosto de 2021
    © REUTERS / Murad Sezer
    Imigrantes afegãos se escondem das forças de segurança em um túnel sob trilhos depois de fugirem ilegalmente do Irã para a Turquia, perto da província turca de Bitlis, 23 de agosto de 2021

    Adicionalmente, a falta de representação brasileira no país em causa faz com que informações sobre quem procura refúgio apenas cheguem às autoridades do Brasil através de entidades internacionais, o que acaba também dificultando o processo, indica o chefe de gabinete.

    Outro objetivo do Itamaraty é garantir que os refugiados afegãos não passam dificuldades semelhantes às de seu país no Brasil.

    Para isso, Brasília contará com o apoio de entidades internacionais para evitar a vinda de pessoas que não queiram, de todo, vir para o país. De igual modo, serão acolhidas pessoas que consigam procurar os consulados e preencher todos os requisitos para obtenção do visto.

    Conforme conta a matéria, o Brasil deverá acolher grupos de juízas, fotógrafas e artistas vindas do Afeganistão e, em parte, do Paquistão.

    Mais:

    Talibã adverte de 'consequências' se drones dos EUA continuarem violando espaço aéreo do Afeganistão
    'Estamos ganhando tração': novo embaixador do Brasil na Rússia quer retomar visitas bilaterais
    Colapso do Afeganistão pode ter sido causado por acordo de Trump com Talibã, diz general dos EUA
    Tags:
    Brasil, Ministério das Relações Exteriores, refugiados, Afeganistão, vistos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar