23:39 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra COVID-19 em meados de setembro de 2021 (11)
    2105
    Nos siga no

    Contra a ex-esposa do presidente Bolsonaro pesam acusações de tráfico de influência e tentativa de interferência na escolha de cargos federais, a pedido de Marconny Faria, amigo próximo de Jair Renan.

    A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (15) a convocação de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro e mãe de Jair Renan, o quarto filho do presidente. A data do depoimento ainda não foi definida.

    "Como se sabe, o senhor Marconny Faria atuou como lobista da empresa Precisa Medicamentos, investigada pela CPI da Pandemia em razão de irregularidades na negociação de compra da vacina Covaxin, de modo que a sua relação próxima com a ex-esposa do senhor Jair Bolsonaro deve ser amplamente esclarecida, com vistas a examinar potencial atuação ilícita de ambos no contexto da pandemia", afirmou o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), autor do requerimento, citado pelo jornal Correio Braziliense.

    A CPI diz ter indícios de que Ana Cristina Siqueira Valle mantinha relação de proximidade com o lobista e que, a pedido dele, atuou para fazer indicações para cargos no governo federal, como foi constatado em conversa entregue pelo Ministério Público Federal do Pará à CPI.

    Ana Cristina Valle (ao centro), ex-mulher de Bolsonaro que supostamente gerenciava o esquema de rachadinha, em campanha para o presidente (foto de arquivo)
    © Folhapress / Eduardo Anizelli
    Ana Cristina Valle (ao centro), ex-mulher de Bolsonaro que supostamente gerenciava o esquema de rachadinha, em campanha para o presidente (foto de arquivo)

    O acordo de R$ 1,6 bilhão, firmado em 25 de fevereiro de 2021, para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin contra a COVID-19 foi firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos e está sendo alvo de investigações do Ministério Público Federal, do Tribunal de Contas da União e da Polícia Federal. A Covaxin foi a vacina mais cara negociada pelo governo federal, custando R$ 80,70 a unidade, segundo dados do Tribunal de Contas da União.

    Tema:
    Brasil contra COVID-19 em meados de setembro de 2021 (11)

    Mais:

    CPI da Covid: comissão aprova quebra de sigilo de advogado de Bolsonaro e de Ricardo Barros
    Relatório final da CPI apontará até 30 nomes para indiciamento, incluindo Bolsonaro, diz Rodrigues
    CPI da Covid: motoboy diz que frequentava Ministério da Saúde e sacava até R$ 430 mil em espécie
    'Foi armação': Alexandre Frota quer CPI para investigar facada em Bolsonaro
    Tags:
    tráfico de influência, Jair Bolsonaro, governo bolsonaro, Ana Cristina Valle, CPI da Covid, vacina, vacina, corrupção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar